As partidas atrasadas da Premier League, realizadas nesta quarta-feira, tiveram impactos importantes na tabela. O Tottenham derrotou o Newcastle por 1 a 0 e está classificado para a próxima Champions League. Enquanto isso, a situação do Chelsea ficou mais complicada com o empate por 1 a 1 com o Huddersfield, que, em uma realidade completamente diferente, conseguiu o pontinho que precisava para se manter na primeira divisão. 

LEIA MAIS: Contra Liverpool, Chelsea comprova reação – e disputa pela Champions esquenta

Tropeços do Liverpool e a vitória no confronto direto do último domingo deixaram o Chelsea com esperança de chegar entre os quatro primeiros. A possibilidade ainda existe, mas ficou mais difícil. Agora, os Blues precisam ganhar do Newcastle, fora de casa, e torcer por vitória do Brighton, já livre do rebaixamento, em Anfield. 

Isso porque o time de Conte não conseguiu furar o bloqueio de David Wagner, em Stamford Bridge. O italiano decidiu poupar alguns atletas, como Hazard, Moses e Gary Cahill. Estavam no banco de reservas para entrar se fosse necessário. Foi um jogo inteiro de ataque contra defesa, sublinhando as dificuldades do Chelsea em casa. Agora, nas últimas oito rodadas de Premier League como mandante, são apenas três vitórias, três empates e duas derrotas.

O Huddersfield encaminhou o empate que precisava no começo do segundo tempo, quando Laurent Deporte foi lançado, ganhou a dividida com Caballero e tocou para fazer 1 a 0. Giroud e Hazard entraram para tentar a virada, mas o Chelsea seguiu produzindo pouco. O gol de empate surgiu por acaso: uma bomba da defesa do Huddersfield que explodiu no rosto de Marcos Alonso e entrou. Nos minutos finais, Lossl precisou fazer uma linda defesa em cabeçada de Christensen, após um bate e rebate de muito respeito dentro da área. 

A uma rodada do fim da Premier League, já está definido que os três clubes que subiram da segunda divisão ficarão pelo menos mais uma temporada na elite, o que não acontecia desde 2011/12. Newcastle e Brighton já estavam livres da queda. Quem se complicou nessa história foi o Swansea. Os galeses, com 33 pontos, agora só podem ultrapassar o Southampton, que tem 36. Mas ainda precisam tirar nove gols de saldo. 

Enquanto isso, em Wembley, um gol de Harry Kane garantiu o Tottenham na Champions League mais uma vez. Os Spurs chegaram a 74 pontos e não podem mais ser alcançados pelo Chelsea. É a terceira temporada seguida da equipe do norte de Londres com ingresso na principal competição de clubes da Europa. 

Recordes

Danilo, Bernardo Silva e Fernandinho fizeram os gols da vitória do campeão Manchester City sobre o Brighton, por 3 a 1, e ajudaram o time de Guardiola a bater mais três recordes da Premier League: com 97 pontos, superou os 95 do Chelsea de Mourinho em 2004/05; com 105 gols, passaram os 103 do Chelsea de Carlo Ancelotti, em 2009/10; e com 31 vitórias em 37 rodadas, ultrapassou os 30 triunfos do Chelsea em 2016/17. 

Sete derrotas seguidas

O Arsenal perdeu do Leicester, por 3 a 1, e alcançou um feito desagradável: sete derrotas seguidas fora de casa pela Premier League. O time de Wenger não conseguiu um ponto sequer longe do Emirates em 2018. Ainda tem mais uma chance, na rodada final, contra o Huddersfield.