Uma grande partida de Copa do Mundo muda as perspectivas sobre qualquer jogador. Após a classificação contra a Colômbia, Jordan Pickford deixou de ser meramente um goleiro talentoso para se tornar o herói da classificação da Inglaterra às quartas de final. O jovem de 24 anos, que há dois anos tinha como objetivo se firmar na Premier League e passou a temporada seguinte lutando contra o rebaixamento com o Sunderland, virou a nova referência da meta inglesa. E, depois de salvar os Three Lions nos pênaltis, ganhou confiança. Basta vez o que aconteceu neste sábado, contra a Suécia. O time de Gareth Southgate avançou às semifinais da Copa de 2018 com tranquilidade muito graças ao arqueiro, de segundo tempo fantástico em Samara.

Pickford não foi muito exigido ao longo da partida. No primeiro tempo, os suecos não acertaram um chute sequer contra a sua meta. No entanto, na volta do intervalo, o camisa 1 começaria a ser testado. E fez três excelentes defesas para garantir o resultado à Inglaterra. Na primeira, a mais sensacional delas, Marcus Berg cabeceou à queima-roupa. O arqueiro espalmou, operando o milagre, em intervenção que lembrou bastante a de Hugo Lloris contra o Uruguai no dia anterior. Graças ao lance, o jovem evitou o empate dos escandinavos e, pouco depois, comemorou o segundo gol de seus companheiros. Mais adiante, completaria seu show. Quando Viktor Claesson bateu rasteiro dentro da área, o inglês se esticou para salvar o time mais uma vez. Por fim, a bomba de Berg só não entrou porque o goleiro estava atento, tocando com a ponta dos dedos, em desvio por cima do travessão.

A atuação de Pickford foi tão boa que, independentemente dos dois gols anotados pela Inglaterra, o camisa 1 ganhou o prêmio de melhor em campo. E, nestes mata-matas, começa a despontar como um dos melhores da Copa do Mundo. Sua fase de grupos havia sido discreta e alguns até o culparam pelo gol sofrido na derrota ante a Bélgica. Entretanto, capaz de fazer uma das defesas mais impressionantes do torneio no fim do jogo contra a Colômbia, além do penal rebatido, e de acumular lances vitais contra a Suécia, seu moral se eleva bastante. Quem sabe, para alimentar ainda mais o desejo dos Three Lions em busca da final em Moscou.

LEIA MAIS: Pickford passou por cinco divisões até surgir como salvador repentino da Inglaterra