Camp Nou, 11 de setembro de 2010. A data pode não ser lembrada de imediato pela torcida do Barcelona, mas o fato é inesquecível. Naquele dia, o time de Pep Guardiola cruzava com a maior zebra que teve pelo caminho. O nanico Hércules, que reaparecia na primeira divisão do Campeonato Espanhol após 13 anos. Goleada certa dos catalães? Não foi o que Messi, Iniesta, Villa e todo o esquadrão blaugrana presenciaram. O pequeno time não se intimidou no estádio gigantesco e, com dois gols de Nelson Haedo Valdez, impôs um grande vexame aos anfitriões. E é preciso voltar tanto assim no tempo para relembrar a última derrota do Barça em La Liga por mais de um gol de diferença. Algo repetido neste sábado, pela Real Sociedad.

Foto Matéria Trivela

Clique aqui e compre o seu na Leader.com.br

Os txuri-urdin nem de longe podem ser comparados com o Hércules, em qualquer aspecto. A Real não sonha com a segunda classificação consecutiva à Liga dos Campeões à toa, ainda que esteja a anos-luz de disputar o título. A vitória por 3 a 1 no Estádio Anoeta foi resultado da competência do time, que abusa da velocidade em seus ataques com Carlos Vela e Antoine Griezmann. O francês foi o nome do jogo, enquanto o mexicano só não marcou o quarto e decretou a goleada porque a trave não deixou. Um verdadeiro baile.

Do outro lado, o Barcelona também teve sua parcela de culpa. E muita. Tata Martino escalou Busquets e Alexandre Song entre os titulares, uma opção que foi mais convidativa aos adversários do que qualquer outra coisa. Inoperante no ataque, o time só ameaçou o gol de Claudio Bravo em uma tentativa solitária de Messi. Já atrás, a defesa parecia não se cansar de bater cabeças, algo simbolizado pelo “deixa que ele vai” do terceiro gol da Real.

Perder para a Real Sociedad no País Basco é muito mais compreensível do que cair em casa para o Hércules. Mas as consequências podem ser piores. Aquela zebra foi um ponto fora da curva, logo na segunda rodada da campanha, que levou a taça ao museu do clube. Em contrapartida, o tropeço deste sábado é o segundo nas últimas quatro rodadas de La Liga. Custou a liderança, com o Real Madrid abrindo três pontos de vantagem. E, considerando as oscilações excessivas dos blaugranas, é bem mais possível que seja repetida em breve.

E, para quem não se lembra, eis os gols da derrota para o Hércules: