Ninguém na Itália tem dinheiro para fazer contratações midiáticas e estrelares. O que mais aconteceu foram negociações internas, a não ser por algumas exceções, como Micah Richards na Fiorentina e Bruno Peres (do Santos) no Torino. Nada muito emocionante não fossem três histórias muito interessantes e estranhas que aconteceram envolvendo Milan e Internazionale. Contos de mistério, frustração e indisciplina que relatamos a seguir.

LISTA: Veja as principais transferências do último dia de mercado

Deu um pouco de dó

Coitado de Biabiany, o meia-atacante que corre ou pensa, mas nunca consegue fazer as duas coisas ao mesmo tempo. Ele foi contratado pelo Milan em uma troca com o Palermo pelo lateral direito Zaccardo. Acertou todos os valores e até posou para foto com o cachecol rossonero publicada no Twitter (parece que anunciar contratação com cachecol virou moda). Como a contratação foi anunciada nas redes sociais pelo próprio Milan, não havia possibilidade de Zaccardo não acertar com o Parma, certo? Errado. Equanto Biabiany imaginava a quantidade de gols que desperdiçaria com chutes tortos em San Siro, o lateral direito rejeitava a proposta do clube da Emilia-Romanha. O negócio foi cancelado, e Biabiany, desse sorriso maroto, deve ter ficado tão chateado quanto a candidata que não recebia nenhuma pergunta no debate televisionado da semana passada.

Biabiany

Aqueles males que vem para o mal

Um nome forte para sair da Internazionale nesta janela de transferências era Fredy Guarín. O primeiro interessado foi o Valencia, cheio da grana depois que ganhou um dono novo. O negócio estava próximo de acontecer, tanto que Mazzarri já havia encaminhado o seu substituto, o meia Giacomo Bonaventura, da Atalanta, mas Guarín não parece estar se esforçando para deixar Milão. Recusou uma transferência de € 12 de milhões para o Zenit e também não acertou salário com o Valencia.  Bonaventura, coitado, tinha tudo para fechar algum bar com Biabiany afogando as mágoas, mas o Milan, depois de não conseguir o meio-campo do Palermo, apareceu na história e fechou com o jogador da Atalanta por € 7 milhões. Há alguns males que vem para o mal mesmo porque a Internazionale ficou sem Bonaventura e não mandou Guarín para lugar nenhum. 

A volta dos que não foram

De repente, Saphir Taider apareceu de volta no centro de treinamentos da Internazionale e ninguém entendeu a razão. Ele havia sido emprestado ao Southampton por uma temporada na negociação que levou Dani Osvaldo a Milão. Mas, segundo o clube inglês, o meia argelino “não conseguiu corresponder às altas expectativas de comportamento do Southampton”, um bom e sutil eufemismo para dizer que ele foi indisciplinado ou não estava muito afim de jogar na Inglaterra. Então, no último dia da janela de transferências, os Saints romperam o empréstimo e devolveram Taider, 27 dias depois de ser contratado, e o meio-campista foi imediatamente repassado, tal qual uma batata quente, para o Sassuolo.

Você também pode se interessar por:

>>>> Cristiano Ronaldo cornetou de leve as opções do Real Madrid no mercado

>>>> Chicharito faz mais sentido para o elenco do Real Madrid que Falcao