Um confronto de pequenos definirá mais um estreante na Copa. Trinidad e Tobago receberá o Bahrein neste sábado, em uma partida que muitos sequer imaginariam ser decisiva para a definição de uma vaga no Mundial.

Os Soca Warriors nem de longe fazem questão de lembrar das eliminatórias para a Copa de 90. A equipe estava com um pé na Itália, mas a derrota em casa para os EUA eliminou a seleção. Dois remanescentes do fracasso de Port of Spain carregam a responsabilidade de evitar novo fiasco: Dwight Yorke e Russell Latapy.

A dupla terá o apoio de Stern John, maior artilheiro da história da seleção, com 64 gols em 89 jogos. Mas os trinitários devem tomar cuidado, pois nada menos do que dez jogadores estão pendurados. O técnico Leo Beenhakker preparou um esquema especial para marcar o principal jogador do Bahrein. Ele terá a marcação individual de Marvin Andrews.

O Bahrein contou com a sorte para permanecer com chances de ir à Alemanha, após a polêmica partida remarcada contra o Uzbequistão. Passadas as lamentações dos uzbeques, os barenitas terão o retorno do atacante Alaa Hubail, ´extremamente perigoso´, nas palavras de Beenhakker.

O jogador se recuperou de uma grave lesão e está com o faro de gols apurado. No fim de semana, marcou dois pelo Al Gharafa, pelo campeonato do Qatar. No entanto, ele não terá Naser Duaij como seu parceiro, afastado por excesso de peso. O defensor Mohammed Husain também está fora, machucado.

Leia também, sobre a repescagem para a Copa do Mundo:
Tensão marca reencontro de Uruguai e Austrália
Nedved retorna para acabar com ´´amarelão´´ tcheco
Turquia enfrenta Suíça sem medo de ser visitante
Espanha joga com força máxima