Após ser uma das surpresas da última Copa, quando terminou em terceiro lugar, a Turquia tenta repetir seus melhores dias. Porém, a equipe precisará superar a Suíça na repescagem. A primeira partida será em Berna, neste sábado, mas este não é o principal motivo de procupação do time de Fatih Terim.

Não dá para se dizer que a Turquia está em desvantagem por jogar na casa do adversário. Em primeiro lugar, a seleção está invicta nestas eliminatórias quando atuou longe de seu território. Foram quatro vitórias e dois empates na chave de Ucrânia, Dinamarca, Grécia, Albânia e Cazaquistão.

Mas a grande diferença está no fato de muitos turcos e descendentes morarem na Suíça. Ou seja: haverá no estádio uma considerável parcela de torcedores apoiando o time visitante. E a Turquia precisará de muitos incentivos para manter-se viva na disputa por um lugar na Copa. Terim enfrenta problemas, com jogadores machucados (Hasan Sas, Yildiray Basturk, Ibrahim Akin e Tolga Seyhan) e suspensos (Emre Belozoglu e Hamit Altintop).

Ausente do Mundial desde 94, a Suíça disputou até o fim uma vaga no equilibrado grupo 4, mas a França terminou em primeiro. A equipe de Köbi Kuhn tentará abrir uma boa margem de vantagem, e para isso terá à disposição os atacantes Alexander Frei e Johan Vonlanthen. Cumprida esta parte, os suíços apostam na força defensiva para a partida de volta.

Leia também, sobre a repescagem para a Copa do Mundo:
Tensão marca reencontro de Uruguai e Austrália
Trinidad e Tobago e Bahrein fazem ´´duelo de pequenos´´ pela Copa
Nedved retorna para acabar com ´´amarelão´´ tcheco
Espanha joga com força máxima