Por Leandro Stein, da Trivela, e Emmanuel do Valle, dono do Flamengo Alternativo

Em um jogo que se decide no 11 contra 11, às vezes se perde a noção das diferenças entre as nações em campo. No entanto, basta olhar de maneira mais cuidadosa à estrutura do futebol na Islândia para se perceber o tamanho do feito de um país tão pequeno na Eurocopa. Os 23 convocados saíram de um grupo de aproximadamente 100 jogadores islandeses que são “profissionais em tempo integral”. E todos os membros do elenco comandado por Lars Lagerbäck e Heimir Hallgrímsson, sem exceção, defenderam times locais em sua formação nas categorias de base – sendo que apenas quatro chegaram ao nível adulto em outros países.

Ao todo, 23 mil dos 330 mil habitantes da Islândia são registrados como jogadores na federação, a maioria crianças e adolescentes. Entre homens adultos, são três mil futebolistas, que se dividem em clubes majoritariamente amadores. O Campeonato Islandês conta com cinco divisões, sendo a última regionalizada. Contudo, mesmo no nível principal, a Úrvalsdeild não consegue ir além do semiprofissionalismo. A elite do futebol local conta com 12 equipes, concentrados principalmente na região da capital Reykjavík. Além disso, a maioria desses times faz parte de clubes poliesportivos, que também contam com departamentos de handebol, hóquei no gelo e outras modalidades fortes na região, assim como com sua equipe de futebol feminino.

Também é preciso ressaltar que a formação de jogadores na Islândia vai além das estruturas oferecidas pelos clubes. Em um país de extremos climáticos, a federação de futebol investiu na construção de campos que pudessem receber treinos e jogos durante o rigoroso inverno. Ao longo dos últimos 15 anos, foram inaugurados 30 campos com grama artificial, sete deles cobertos, assim como 150 quadras artificiais com dimensões não-oficiais. A partir dos quatro anos de idade, todas as crianças islandesas já são orientadas por um treinador credenciado na Uefa. E a expectativa é de que a qualidade do futebol local aumente, já que a atual geração da seleção principal ainda não faz parte deste processo.

Abaixo, um mapa com os principais clubes do Campeonato Islandês, incluindo os membros das duas primeiras divisões em 2016. Por causa do clima, o torneio é geralmente realizado entre maio e setembro: