Rio Ferdinand possui uma história de vida bastante respeitável. Foi um dos melhores zagueiros de sua geração, superando uma série de dificuldades na juventude. E, após pendurar as chuteiras, além de se tornar comentarista, passou a encarar uma batalha ainda mais dura. Perdeu a esposa, vítima de um câncer de mama. Enfrentou o alcoolismo, a depressão e os pensamentos suicidas. Inspirado por seus filhos, se reergue aos poucos. A partir de agora, se dedicando novamente ao esporte. Nesta terça, o veterano confirmou que retomará a carreira como atleta. Aos 38 anos, vestirá luvas e subirá nos ringues como boxeador.

Ferdinand vinha treinando boxe ao longo dos últimos meses e postando vídeos em suas redes sociais. Acabou convidado por uma empresa de apostas para fazer parte do projeto chamado ‘Defender to Contender’. Ele treinará com Richie Woodhall, medalhista olímpico e antigo campeão mundial dos supermédios, tentando conseguir uma licença junto à associação britânica da modalidade. Caso cumpra seu objetivo, poderá disputar lutas como boxeador profissional. Um rumo um tanto quanto inesperado para sua vida.

“A chance de me provar em um novo esporte é o real desafio. O boxe é um esporte fantástico para a mente e para o corpo. Eu sempre fui apaixonado por isso e essa é a oportunidade perfeita para mostrar às pessoas o que é possível. É um desafio que não vou empurrar com a barriga, claramente não são todos que podem ser boxeadores profissionais, mas com o time de especialistas que estamos montando e o ímpeto que tenho para buscar o sucesso, tudo é possível”, afirmou Ferdinand.

Já Woodhall demonstra confiança em seu novo pupilo, como deixou claro em entrevista à BBC: “Honestamente, eu penso que Rio pode definitivamente lutar profissionalmente. Ele tem uma força natural na mão direita, está em forma e está empolgado em aprender, o que é encorajador. Terei que desenvolver sua inteligência na movimentação, o que leva tempo, mas ele tem todos os ingredientes naturais. Tem altura e alcance em vantagem sobre os boxeadores em seu peso e definitivamente possui potencial para ganhar um título no futuro”.

Rio Ferdinand não é o primeiro jogador inglês a fazer a transição ao boxe. Outros atletas de clubes tradicionais passaram a vestir luvas, como Curtis Woodhouse (de passagem mais notável pelo Sheffield United, além da seleção sub-21) e Leon McKenzie (que defendeu Crystal Palace, Norwich, entre outros). Nenhum deles, porém, com a projeção do ex-capitão do Manchester United e da Inglaterra.

“Quando soube da notícia, pensei que ele tinha sido hackeado. Não é algo que você lê todos os dias. Eu me aposentei há três anos e uma coisa que sinto falta é a competitividade de ser um atleta. Uma vez que isso é tirado de você, é muito difícil de substituir. Então, provavelmente é isso que ele está perseguindo. Ele quer recuperar essa competitividade”, declarou Woodhouse, antigo meio-campista que chegou a ser campeão em sua categoria no boxe.

Paralelamente aos treinamentos, Ferdinand deverá gravar uma série de documentários sobre a sua preparação. Segundo o jornal The Guardian, seu objetivo é fechar o último capítulo com sua primeira luta como profissional – possivelmente, também a única.