A noite foi de entusiasmo para o Manchester United. Não apenas pela vitória por 2 a 0 sobre o Cardiff City em Old Trafford, apenas a terceira desde a virada do ano. Mas também pelas boas notícias para os próximos compromissos dos Red Devils. Robin van Persie voltou marcando gol, assim como Wayne Rooney reapareceu no time durante o segundo tempo. E Juan Mata, a maior contratação da história do clube, trazido por € 44,7 milhões, já fez sua primeira partida com a camisa vermelha, logo como titular.

A estreia do espanhol foi satisfatória. Mata foi escalado em sua posição favorita, centralizado na armação do 4-4-1-1 utilizado por David Moyes. Como era de se esperar, o camisa 8 participou bastante da construção dos ataques. Finalizou duas vezes, sem tanto perigo, e criou quatro oportunidades para os companheiros – uma delas acabou nas redes, em jogada que teve mais méritos individuais de Ashley Young. Além disso, o espanhol ditou o ritmo do time ao ser o jogador que mais distribuiu passes enquanto esteve em campo.

Não houve nada de espetacular, o que é mais do que compreensível para quem mal teve tempo de se entrosar. Mais importante foi a vontade demonstrada pelo meia, chamando o jogo como se espera. Seu encaixe ideal deve vir com o tempo. E, provavelmente, em outra posição. Se Rooney e Van Persie continuarem voando como estavam antes das lesões, dificilmente Mata terá espaço no meio. Deve ser deslocado para a meia, onde viveu seus melhores momentos no Valencia e também foi bastante utilizado no Chelsea. O que importa neste momento, porém, não é o papel central, mas a sequência para que Mata possa reencontrar seu bom futebol.

Nas imagens abaixo, o mapa de calor e os passes de Mata no jogo:

mata