O clássico entre Dinamo Zagreb e Hajduk Split é conhecido por ser um dos mais tensos do leste europeu. O Dérbi Eterno é disputado desde 1946 e teve um de seus episódios mais dramáticos de sua história neste domingo. Não havia nada de especial no duelo pela sétima rodada do Campeonato Croata. Porém, a forma como o Dinamo buscou a virada por 3 a 2 em Split, com dois gols nos acréscimos, certamente será lembrada por muito tempo. E dois jogadores em especial passam a ser idolatrados – um deles, também odiado pela torcida de seu ex-clube.

Parecia que o Hajduk teria uma vitória tranquila no Estádio Poljud. Logo no início do segundo tempo, os anfitriões abriram dois gols de vantagem no placar. Foi a deixa para que o Dinamo acordasse para o jogo e começasse a construir sua virada. O primeiro gol que diminuiu a diferença saiu aos 26 minutos da etapa complementar. O autor foi Duje Cop, considerado um dos jogadores mais promissores do futebol croata, e de fortes ligações com os arqui-inimigos.

Cop nasceu em Split. Seu pai, Davor Cop, foi atacante do Hajduk durante os anos 1970 e 1980, fazendo parte da equipe que conquistou o Campeonato Iugoslavo em 1979. Duje seguiu os passos do progenitor e, depois de passar pelas categorias de base do clube, o defendeu profissionalmente por três temporadas. Transferiu-se em 2011/12 para o RNK Split e, depois de um ano, foi parar no Dinamo Zagreb. Na capital, o atacante de 24 anos estourou, sendo o artilheiro do último Campeonato Croata. Provocou também a ira de seus antigos torcedores.

Em clássicos anteriores, Cop já tinha marcado três gols contra o Hajduk Split. Desta vez, além de diminuir a diferença, também decretou o empate, aos 45 do segundo tempo. Suficiente para os visitantes? Nem um pouco. Aos 49, foi a vez de Ángelo Henríquez se consagrar. Emprestado pelo Manchester United, o chileno de 20 anos possui talento para estar em um clube maior da Europa. Porém, teve a sorte de sair do banco e concluir o contra-ataque que possibilitou a virada heroica. Foi seu primeiro gol pela nova equipe. Para já virar xodó em Zagreb.

Desde 2010, o Hajduk venceu apenas um clássico, enquanto perdeu 11 e empatou quatro. Uma freguesia enorme, que também se reflete na tabela final do Campeonato Croata, com nove títulos seguidos do Dinamo. E Cop, o 34º jogador a atuar pelos dois clubes, será menos bem-vindo ainda quando quiser voltar a sua terra natal.

Abaixo, o vídeo dos gols, com destaque também para o primeiro do Hajduk, uma pintura de Tino Sven Susic: