A mudança de esquema do 3-3-1-3 das primeiras temporadas para a versão mais ofensiva – com um líbero e o volante se tornando meia central – não estava sendo muito proveitosa. Assim, decidi fazer mais uma mexida. O zagueiro atrás dos outros dois defensores ficou em linha com os colegas, numa linha de três usual e que nos tinha garantido bons desempenhos. No entanto, em vez de voltar com o Píriz, mantive o Pavez por ali. Ele é volante de origem, então imagino que ele consiga sair jogando com qualidade e suba a marcação quando o time adversário tiver um meia pelo centro. Lá na frente ficou tudo igual. Brum foi nosso volante de marcação, mas um pouco mais adiantado, e Jorge Luna avançou para ser o meia logo atrás do trio de frente.

>>>> Perguntamos o que você queria saber ao produtor do FM 2014

- Seguindo a jornada com o Instituto de Córdoba, estreamos na Copa Sul-Americana 2015 enfrentando o San Lorenzo fora de casa. Abrimos o 1 a 0 com nosso novo nove Facundo Ferreyra. Eles empataram, nós viramos com Dos Santos, em cobrança de escanteio de Luna, e depois tomamos o novo empate. Garantimos um 2 a 2 fora de casa.

- De volta ao Apertura argentino empatamos por 0 a 0 com o Lanús em casa. Depois enfrentamos de novo o San Lorenzo, desta vez pelo torneio nacional, e empatamos outra vez: 1 a 1, com gol de Chucky Ferreyra.

- Na sequência o segundo jogo da Sul-Americana contra o San Lorenzo e adivinhem! Empate de novo! 1 a 1 em casa, com o lateral/meia direita Roselli marcando de pênalti.

- No Apertura vencemos o Vélez em casa com gol de Ramírez e nos mantivemos nas primeiras posições. Fomos enfrentar o Tigre e perdemos por 2 a 1. Ferreyra fez o 1 a 0, mas tomamos a virada.

- De volta à Copa Sul-Americana fomos enfrentar o Tolima em Ibagüé e voltamos com uma importante vitória. No segundo tempo o jovem Dybala, fruto da nossa categoria de base, fez o primeiro e Roberto Brum após rebote de escanteio o segundo.

- No Apertura argentino vencemos outra: 2 a 1 contra o Tiro Federal fora de casa. Ferreyra, de novo ele, e Gaitán (nosso zagueiro reserva) marcaram ainda no primeiro tempo.

- Recebemos então o Tolima no Monumental de Alto Córdoba e ganhamos por 2 a 1. Brum e um gol contra deles! Graças a este resultado avançamos às quartas de final da Sul-Americana!

- No Argentino tivemos uma sequência muito difícil. Ganhamos do Arsenal em casa por 1 a 0 com gol de Ramírez. Depois seguramos o Boca Juniors no 0 a 0 e empatamos com o Newell’s fora de casa por 2 a 2, com gol de Carlos Luna, contratado nesta temporada, e um gol contra deles.

FM - 11 - 02

- Voltamos a jogar pela Sul-Americana contra o Lanús. Tínhamos empatado pelo Argentino, mas desta vez conseguimos ganhar! Brum e Delfino anotaram nossos gols no triunfo por 2 a 1. Uma boa situação para buscar lá fora um gol.

- No Argentino vencemos o All Boys por 1 a 0. Delfino de cabeça garantiu!

- Fomos enfrentar o Lanús pela Sul-Americana na casa deles e pra minha surpresa eles erraram tudo. Nos contra-ataques acabamos com o adversário. Ferreyra, Lizio e Barrera, duas vezes, nos colocaram na inédita disputa de uma semifinal de Sul-Americana! Contra o Botafogo!

- A prioridade era a Sul-Americana, mas mesmo assim os garotos venceram o Racing em casa com um gol de Delfino.

- No dia 25 de novembro de 2015 recebemos o Botafogo no Monumental de Alto Córdoba. Sem sombra de dúvida era o nosso maior jogo depois daquele playoff decisivo que nos garantiu o Clausura 2013. Eles vieram com o brasileiríssimo 4-2-2-2 e logo de cara vi que meu setor central de apenas dois jogadores não era páreo. Defini marcações individuais, mudei posições, mas não deu… Perdemos por 2 a 0 em casa. Ficou difícil.

>>>> 8 motivos que provam que o mundo virou um grande Football Manager

- Três dias depois fomos ao Engenhão enfrentar o alvinegro carioca. A ideia era jogar pra frente para tentar devolver o 2 a 0. O time foi brioso, lutou muito, mas não conseguiu… No fim da partida Carlos Luna fez um gol em contra-ataque e nós vencemos por 1 a 0. Não foi o suficiente e deixamos a Sul-Americana na semifinal. Mesmo assim foi a nossa melhor campanha no continente.

- Restava o campeonato argentino, mas a diferença para os líderes era grande. Precisávamos de uma racha ganadora. Fomos enfrentar o River Plate e não conseguimos nos impôr. Facundo Ferreyra fez dois gols, mas eles também fizeram dois e empatamos. Em casa contra o Banfield empatamos por 1 a 1 com um gol contra deles. Era o fim… A diferença aumentou ainda mais e achei que não teríamos mais chance de título.

- Pra piorar, perdemos do Atlético Rafaela em casa e empatamos com o Belgrano fora por 1 a 1, resultando nesta campanha no Apertura…

FM - 11 - 03

Pouco né? Bem pouco. Pra encerrar 2015 vencemos o Argentino por 3 a 0 pela Copa da Argentina com gols de Baez, Delfino e Carlos Luna.

FM - 11 - 04

Foi um ano de reconstrução. Chegar às semifinais da Copa Sul-Americana foi um grande feito, mas ter empatado tanto no Apertura deixa sérias dúvidas sobre esse novo esquema que coloquei em prática. Vamos ver na Copa Libertadores da América. Algumas posições precisam render mais. Nossos artilheiros foram esses:

Facundo Ferreyra………….10 gols
Lizio…………………………………4 gols
Barrera…………………………….3 gols
Brum………………………………..3 gols
Carlos Luna……………………..3 gols
Delfino……………………………..3 gols
Dos Santos………………………2 gols
Ramírez…………………………….2 gols

Vejam que Jorge Luna não fez um gol. Nosso camisa 10, porém, deu muitas assistências. Já Barrera e Lizio foram poucas vezes às redes, enquanto a defesa foi bastante vazada… A ver!

As outras partes da nossa saga:

>>>> [Uma Saga de FM] Parte 1: a inspiração em Bielsa e escolha do time

>>>> [Uma Saga de FM] Capítulo 2: Contratações

>>>> [Uma saga de FM] Capítulo 3: Avanço e balanço da primeira temporada

>>>> [Uma Saga de FM] Capítulo 4: Para embalar!

>>>> [Uma Saga de FM] Capítulo 5: Um imbatível Instituto!

>>>> [Uma Saga de FM] Capítulo 6: A primeira impressão

>>>> [Uma Saga de FM] Capítulo 7: Reticências apenas

>>>> [Uma Saga de FM] Capítulo 8: A realidade

>>>> [Uma Saga de FM] Capítulo 9: Adelante!

>>>> [Uma Saga de FM] Capítulo 10: O mundo em 2015