Junho de 2012 chegou, e com ele um novo programa de treinos para os jogadores que voltaram das férias. Com alguns integrantes novos na comissão técnica foi possível aumentar o trabalho físico na pré-temporada, aspecto essencial para implementar o esquema que eu gostaria. E quando julho chegou vieram também os novos reforços, contratados ainda na temporada anterior quando estavam com seus vínculos se encerrando, ou seja, chegaram sem custos. Ufa! Vamos a eles:

LEIA MAIS:

8 motivos que provam que o mundo virou um grande Football Manager
Perguntamos o que você queria saber ao produtor do FM 2014

Alejandro Delfino: Zagueiro que estava no Banfield e que na avaliação dos meus olheiros é bem superior aos que tenho hoje. 23 anos.

Antonio Medina: Atacante que estava no Rosario Central e que também é superior aos atletas que tenho. Quero ver se ele joga pelo lado de campo. 27 anos.

Jorge Luna: Meia-armador sem clube e com ótimos atributos de chute, criatividade e passe. Deve ser o titular. 25 anos.

Jonathan Blanco: Volantão que estava sem clube. Meio lento, pode ser um problema. 25 anos.

Jonathan Piriz: Zagueiro excelente. Melhor que Delfino, de acordo com os olheiros. Uruguaio (o que é sempre um diferencial hehe). 26 anos.

Com algum dinheirinho recebido pela temporada anterior trouxe também jogadores por empréstimo. São eles:

Luis Pavez: Volante do Colo-Colo com ótimo futuro pela frente. Tem muito Teamwork e Tackling. Acho que assim ele será titular. Paguei 5 mil euros pelo chileno de 24 anos.

Diego Lagos: Já estava no clube, mas tive que renovar o vínculo. Desta vez pagando 30 mil euros. Difícil, mas… Espero que valha a aposta. 25 anos.

Maximiliano Perg: Também renovei com ele, mas sem custos. Está agora com 20 anos.

Novos jogadores, mesmo esquema… Era hora dos testes! Testes, aliás, que nos valeram algum dinheiro por receber no nosso estádio, o Monumental de Alto Córdoba (batizado como Juan Domingo Perón) as equipes do Peñarol, do Tigres, do Colón e do Newell’s, que venceu a primeira divisão.

Os resultados foram esses:

Fm 02

Nestas partidas deu pra testar o novo time que teve:

Danilo Lerda; Piriz, Perg e Delfino; Pavez;  Encina, Jorge Luna e Canever; Medina, Lagos e Lucas Godoy (improvisado)

Mas como pré-temporada muitas vezes engana, estava ansioso para os testes de verdade na segundona argentina. Segundona que perdeu River, Huracán e Gimnasia de La Plata para a elite, mas que “ganhou” o Belgrano (maior rival do Instituto), Olimpo e Unión de Santa Fe.

Os jogos oficiais chegaram e eu não poderia estar mais feliz:

Fm 03

(Clique na imagem para aumentar)

Sete vitórias consecutivas e um empate. Nada mal hein? A estrutura do time é essa. Estou certo disso, mas, ao mesmo tempo, os gols saíram de forma estranha. A maioria em chutes de longa distância do nosso novo camisa 10 Jorge Luna, outros tantos nos escanteios e alguns apenas com os atacantes. Vamos ver como é que fica na segunda metade do torneio. Preciso melhorar isso porque uma hora vai ter uma queda no índice de chutes.

Agradeço muito a todos que têm participado aqui! É ótimo saber que vocês têm lido!

Relembre as outras partes da nossa saga:

Capítulo 1: a inspiração em Bielsa e escolha do time
Capítulo 2: Contratações
Capítulo 3: Avanço e balanço da primeira temporada