O Manchester United apresentou todos os seus problemas em um primeiro tempo modorrento contra o Crystal Palace e, pressionado pela possível perda do segundo lugar e por uma potencial derrota amarga para um clube que briga contra o rebaixamento, fez uma etapa final muito melhor no Selhurst Park. Conseguiu sair da desvantagem de dois gols para vencer por 3 a 2, graças a um golaço de Nemanja Matic, nos minutos finais.

LEIA MAIS: Van Gaal: “No Bayern, o futebol é o mais importante; no United, o dinheiro”

Townsend abriu o placar aos 11 minutos, com um chute da entrada da área desviado em Lindelöf, e condicionou o resto da etapa inicial. Permitiu ao Palace deixar a bola com o adversário sem ficar com a consciência pesada. A vitória seria essencial para o time de Roy Hodgson, que chegou a ficar bem longe dos últimos lugares, mas, há seis rodadas da Premier League sem vencer, agora com quatro derrotas, está de volta à zona de rebaixamento.

Com a bola, o United não conseguiu fazer nada no primeiro tempo. Afirmação que se caracteriza como hipérbole por muito pouco porque é realmente difícil encontrar lances para relatar. Sánchez deu uma cabeçada em saída de Hennessey e Lingard tentou de fora da área. Forams apenas duas finalizações dos Red Devils antes do intervalo. Era um time lento, sem criatividade, poucos dribles, poucas viradas de jogo ou infiltrações por passe.

E logo no começo do segundo tempo, a situação ficou pior, em desatenção inaceitável da defesa. O Palace teve falta na intermediária, cobrou rápido e Patrick van Aanholt entrou na área para fazer 2 a 0. Mourinho já havia feito uma substituição, com Rashford no lugar de McTominay, e os resultados apareceram antes mesmo dos donos da casa fazerem o segundo gol. O atacante inglês, sozinho, pelo lado esquerdo do ataque, bagunçou mais a defesa do Palace do que o resto do time na primeira etapa.

De cabeça, Smalling descontou para o Manchester United, aos dez minutos, e Mourinho mais uma vez mexeu na equipe. Colocou-a para frente. Trocou os laterais Young e Valencia por Luke Shaw, também lateral, e Juan Mata, meia-atacante. Passou a atuar com três na defesa e foi muito mais agressivo do que vinha sendo até então. A pressão ficava cada vez maior. E Lukaku aproveitou. Pegou o rebote de uma bola no travessão e teve inteligência para chutar na hora certa, mesmo estando bloqueado por vários defensores do Crystal Palace.

A esta altura, os anfitriões já estavam contentes com o importante empate contra um dos times do topo da tabela e torciam para o jogo acabar logo. Porque o United estava em cima e tem jogadores de qualidade suficiente para fazer um gol nos 15 minutos que restavam. Foram necessários quase todos eles. Aos 46 minutos do segundo tempo, Matic pegou de fora da área e mandou um míssil, sem chances para Hennessey.

Com o resultado, o United chega a 62 pontos e retoma a segunda colocação das mãos do Liverpool, o próximo adversário da Premier League, em Old Trafford, no próximo sábado. E o segundo tempo fica de lição para o United, que consegue ser um time muito mais agressivo e perigoso do que costuma ser.

.