O Manchester United nem precisava de muito. Vencer por 1 a 0 já bastaria para manter os Red Devils a par e passo do Manchester City na liderança do Campeonato Inglês. Todavia, as falhas defensivas dos Toffees – muitas, vistas a partir do gol precoce de Antonio Valencia – possibilitaram aos Red Devils ampliarem o triunfo no final do jogo: 4 a 0, na quinta rodada do Campeonato Inglês, para equilibrar a disputa pela liderança não só nos pontos, mas no saldo de gols. E também para aprofundar o péssimo começo de temporada do time azul de Liverpool, sem marcar na Premier League há 270 minutos, exatamente na posição limítrofe acima da zona de rebaixamento.

É bem certo que não havia muito o que a defesa pudesse fazer em relação ao gol que abriu o placar em Old Trafford, já aos cinco minutos. Nemanja Matic inverteu o jogo para Antonio Valencia arriscar de primeira, no ângulo direito do gol de Jordan Pickford, que sequer pôde esboçar reação para evitar o golaço. A partir daí, porém, muitas das chances que o United teve para fazer o gol surgiram a partir de erros do Everton na saída de bola. Por exemplo, aos 26 minutos, quando a bola foi recuperada no meio-campo, ficando para Romelu Lukaku, que perdeu boa oportunidade ao chegar na área e chutar em cima de Pickford.

No segundo tempo, ainda houve razões para esperança dos visitantes. Já no primeiro minuto, Wayne Rooney quase deixou sensações de lamentação na parte de Manchester que tantas boas recordações tem dele: chutou para ótima defesa de David de Gea. O arqueiro espanhol ainda se mostrou alerta aos seis minutos, quando evitou o empate em arremate de Gylfi Sigurdsson. Daí por diante, voltou o domínio do United, que quase fez 2 a 0 aos 20, num chute de Juan Mata, na trave.

Porém, foram mesmo os erros defensivos do Everton que transformaram a vitória magra em goleada, já no final do jogo. Aos 39′, Ashley Williams foi mais um a sair errado no meio-campo. A sobra foi passada a Lukaku, que recebeu a bola e segurou-a na entrada da área. E o passe do belga deixou Henrikh Mkhitaryan com a “simples” tarefa de tocar na saída de Pickford para o segundo gol, que praticamente definiu as coisas. Se fora coadjuvante na jogada do segundo gol, Lukaku foi protagonista no terceiro gol, aos 44 minutos. Tanto no começo da jogada, cobrando falta que bateu na barreira, quanto no fim: na sobra, Anthony Martial cruzou, Jesse Lingard desviou, e o próprio Lukaku chegou na segunda trave para o 3 a 0.

Como se estivessem faltando gols, veio o quarto, já nos acréscimos. Em outra falha defensiva: com a área aberta, só restou a Morgan Schneiderlin colocar a mão na bola dentro da área. Apenas adiou o sofrimento, porque Martial (que acabara de substituir Mkhitaryan) cobrou com categoria para o 4 a 0 que manteve a parte vermelha de Manchester plenamente ativa na disputa da liderança do Inglês. E completou semana aziaga para o Everton, que já vinha dos 3 a 0 da Atalanta na Liga Europa.