A camisa da seleção uruguaia é uma instituição do futebol mundial. Precisava ser tombada como patrimônio histórico. Foi a Celeste que rompeu fronteiras e marcou tantos sonhos (ou pesadelos) em tempos nos quais o futebol era contado em preto e branco. Mas a imaginação viva, em cores, sempre respeitava o azul penetrante do manto charrua. E, nesta quarta, os uruguaios aproveitaram para lançar seu uniforme à próxima Copa do Mundo. Simples, mas com sua dose de beleza, como tem que ser.

Os principais detalhes em outras cores aparecem na gola, em preto. De resto, a Puma priorizou o tradicional celeste. E o principal charme vem em traços levemente notados no abdômen, onde as linhas desenham um sol. A figura é inspirada em ‘Un sol para Atlántida’, famosa escultura localizada no litoral de Montevidéu, feita pelo artista plástico Carlos Páez Vilaró – que, em sua juventude, foi goleiro do Wanderers nas categorias de base.