Zinedine Zidane vive dias turbulentos em Madri depois do empate por 2 a 2 com o Celta no fim de semana. O Real Madrid é o quarto colocado no Campeonato Espanhol, a 11 pontos do líder Barcelona, embora os merengues tenham um jogo a menos. Jorge Valdano, diretor do Real Madrid, afirmou que o técnico chegou para corrigir os erros de Rafa Benítez, seu antecessor, mas agora precisa corrigir os seus.

LEIA TAMBÉM: Quando o Real ajudou o maior ídolo do Barça a passar o Natal com sua mãe, depois de 12 anos sem vê-la

“É muito difícil dizer que aconteceu com o Real Madrid desde o início da temporada. As equipes não caem de um precipício, vão baixando por uma costa, perdendo a confiança pouco a pouco. Chegou um momento que a crise parece ter afetado todos”, declarou Valdano em entrevista à rádio Onda Cero, reproduzido pelo jornal espanhol As.

Time desorganizado

“Equipes como o Real Madrid se organizam ao redor da bola e, se são imprecisos, acabam dando muitas facilidades ao adversário. Taticamente, não parecem muito organizados. Me dá a sensação que aqueles jogadores que têm mais energia e ambição pretendem pressionar mais à frente, e os mais conservadores e equilibrados pretendem esperar mais atrás. A equipe está indefinida. Há momentos em que parece querer devorar o adversário e outros que parece querer esperar muito atrás”, analisou o argentino, ex-jogador do próprio Real Madrid.

Problemas físicos

Valdano destacou que o time tem muitos problemas e um deles pode estar no físico. “Se queremos buscar mais razões para nos ajudar a entender o problema, temos que abrir o olho para a questão física, porque contra o Barcelona a equipe caiu no segundo tempo. O ritmo não foi o mesmo do primeiro tempo. Nem todos os jogadores têm a mesma responsabilidade ou a mesma energia, mas em geral estão cada dia mais descompostos e isto é alarmante”, disse o dirigente.

Parcela de culpa de Zidane

“Não sei dizer uma porcentagem, mas Zidane chegou há dois anos e foi capaz de dar uma volta à dinâmica da equipe. Agora está em uma prova parecida. Naquele momento, ele tinha que corrigir o que fez Rafa Benítez e agora tem que corrigir a si mesmo. Ele tem parte da responsabilidade porque há um problema de organização que cabe claramente ao treinador”, disse ainda Valdano.

Jogadores também culpados

“Não vamos tirar a responsabilidade dos jogadores. São grandes demais para não fazer isso. O curioso é que há muito pouco tempo parecia que esta equipe começava um ciclo e agora intriga porque está ali a qualidade, a experiência e a liderança, mas a equipe se afrouxou e tudo parece muito mais vulnerável que há alguns meses”, declarou o ex-jogador.

“O Barcelona se equilibra melhor com a bola e ao longo da partida parece que aperta ou diminui o ritmo segundo lhe convém, mas têm a bola. No Real Madrid os jogadores tendem a ir por dentro e os laterais por fora. Marcelo é acusado de não voltar com a velocidade que deveria. Marcelo sempre foi Marcelo, mas não desequilibra na frente e é onde faz falta, não na defesa. Isso Casemiro e os defensores equilibram”, analisou o argentino.

“O Real Madrid não se pode deixar levar pela metade da temporada, antes que termine o primeiro turno. Não pode renunciar à liga. Esta equipe jogou as últimas partidas com ansiedade, no limite do sistema nervoso. Querem ganhar a partida sozinhos e buscar o gol muito rápido. É hora que cada um cumpra suas obrigações”, disse Valdano. “Zidane tem uma tarefa. Recuperar Bale é uma. Os dois gols devem ajuda-lo a pensar. Muitas vezes recebe de costas para o gol e isso não o beneficia”, explicou ainda.

Jorge Valdano também comentou a mais nova estrela de La Liga, Philippe Coutinho, contratado pelo Barcelona por € 160 milhões (€ 140 milhões + € 20 milhões em variáveis). O dirigente, estando no Real Madrid, não poderia criticar os valores e, ao contrário, fez elogios ao jogador e disse que custou pouco. Isso mesmo: pouco.

“Não falamos do preço de Coutinho porque suponho que nos parece pouco. Vai dar uma enorme qualidade. Muitos jogadores vão ter problemas para aproveitar os minutos. Não vai jogar a Champions League e não poderá ser titular sempre na Liga porque os jogadores que atuam na Champions não teriam ritmo de competição. Terá que dar minutos aos seus companheiros, mas tem gol”, disse.

O Real Madrid volta a campo no sábado, dia 13, para enfrentar o Villarreal no estádio Santiago Bernabéu.