O futebol colombiano vive um grande momento. Com Radamel Falcao García sendo uma das principais estrelas do mundo e a seleção cafetera com um time forte, o cidadão colombiano está novamente orgulhoso de seu futebol. E é justamente do esporte que pode sair uma das melhores iniciativas já pensadas para amenizar o conflito de décadas entre governo e Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia). Símbolo da última geração futebolística que orgulhou os colombianos, Carlos Valderrama desafiou os rebeldes em uma “partida da paz”, e o desafio foi prontamente aceito.

Ao lado do também ex-jogador Mauricio Serna, Valderrama tem percorrido o país há um mês com o programa social “Eu jogo pelas vítimas”, composto por ex-jogadores incumbidos de conversar com vítimas do conflito armado, mostrando-lhes alternativas para superar os problemas. “Dizemos às Farc que preparem uma equipe para jogar uma partida pela paz. Se querem que seja em Cuba ou aqui, tanto faz, mas que preparem bem o pessoal, porque a nossa equipe é muito boa e foi a três mundiais”, sugeriu o Pibe em entrevista recente ao jornal El Tiempo, quando falava sobre o programa.

A réplica das Farc não tardou. Em carta publicada no blog da organização, escreveram: “Aceitamos com gosto o desafio feito e complementamos a proposta da seguinte maneira: joguemos a Partida pela Paz em dois jogos, de ida e volta, a primeira aqui em Havana (onde estão sendo feitas as negociações com o governo colombiano), e a segunda no tradicional bairro de Pescadito, em Santa Marta (Colômbia), de onde saíram tantas glórias do futebol nacional”.

Recentemente o governo da Colômbia e as Farc iniciaram sua 3ª rodada de conversas pela paz. O conflito que já dura quase 50 anos teve sua última tentativa de acordo há mais de 10 anos, com as negociações claramente fracassando. Dessa vez, aproveitando-se da agitação no país com o futebol, o governo conta com o apoio de figuras como Valderrama para ganhar terreno nas negociações. A aceitação amistosa da organização insurgente mostra que talvez este seja o momento em que o acordo de paz esteja mais perto de ser selado. A ajuda do Pibe pode ser o maior golaço do camisa 10 mais marcante da história da Colômbia.