Quem reclama que os Campeonatos Espanhol e Italiano são monótonos porque o título sempre fica com os mesmos clubes nunca deu uma olhada na história do Campeonato Norueguês. Lá, na terra do bacalhau, entre 1992 e 2004 só houve um campeão: o Rosenborg, de Trondheim. Mas como tudo tem seu fim, a supremacia do Rosenborg acabou. E o clube que encerrou a maior seqüências de títulos do futebol mundial atende pelo nome de Valerenga.

O título do Valerenga em 2005 – sim, é 2005, e não 2004/5, porque na Noruega se usa um calendário similar ao brasileiro – veio de maneira sofrida, chorada, na última rodada. O clube empatou fora de casa com o Odd Grenland e contou com o tropeço do Start, que perdeu em seus domínios para o Fredrikstad. Com essa combinação de resultados, em 29 de outubro o Valerenga sagrou-se campeão norueguês pela quinta vez em sua história.

Debaixo da neve

A história do Valerenga começou muito antes disso, no cada vez mais longínquo ano de 1913. Naquela época – o que se repete hoje, aliás -, o futebol estava longe de ser o esporte mais popular da Noruega. Se em todo mundo o futebol ainda engatinhava, o que dizer em um país marcado por baixíssimas temperaturas, e que em grande parte do ano todos os campos de futebol estão cobertos de neve?

Tanto que, apesar da Copa da Noruega ser disputada desde 1902, o primeiro Campeonato Norueguês oficial só começou na temporada 1937/8 (a adoção do calendário que resume o campeonato em um ano só aconteceu em 1963).

A maior função do Valerenga àquela época era servir como um clube social do Sota Corner, região operária da capital Oslo. Suas atividades iam além do futebol e se concentravam em outros esportes até mais populares e mais adequados ao clima da Noruega, como o esqui e o hóquei.

A estrela de Oslo

E quando o Campeonato Norueguês começou para valer, revelou uma peculiaridade pouco comum de se ver na Europa: o domínio quase que total por clubes do ´interior´, deixando a capital de lado.

Essa escrita só seria quebrada em 1964, com o título do Lyn. No ano seguinte, o Valerenga foi o campeão e, em 1966, a taça ficou com o Skeid, instalando uma seqüência até hoje inédita de três títulos da capital Oslo.

O título do Valerenga levou o clube a um nível que parecia ininaginável na época da sua fundação, em 1913. Na temporada 1966/7, o time fez sua estréia em competições européias, logo na Liga dos Campeões. O resultado não foi nada animador – eliminação logo na primeira rodada, pelo Linfield da Irlanda do Norte -, mas valeu a experiência.

Época de ouro

O que o Valerenga não esperava era que seu título em 1965 seria o último num prazo de 15 anos. A década de 1970 foi sombria para o clube e também para os rivais de Oslo – nenhum time da capital foi campeão no período.

Mas em 1980 o Valerenga voltou a triunfar, com a conquista que daria início ao maior esquadrão de sua história. Contra o Lillestrom, o clube disputou sua primeira final de Copa da Noruega e sagrou-se campeão, derrotando o adversário por 4 a 1.

No ano seguinte, foi a vez de comemorar o segundo título norueguês, feito que se repetiria em 1983 e 1984. Com quatro títulos em cinco anos, o Valerenga definitivamente entrava para o grupo dos grandes clubes da Noruega. O que não se refletiu na Europa, é verdade – em todas as competições internacionais disputadas na época, o time caiu logo na primeira fase.

É importante fazer uma ressalva: todos esses títulos foram conquistados quando o clube ainda adotava outro nome: Valerengen. A passagem para Valerenga foi feita posteriormente, e na prática apenas oficializou o nome pelo qual o clube era conhecido por seus torcedores.

Segura o Rosenborg!

O campeão norueguês de 1985 foi o Rosenborg. O clube de Trondheim quebrou aí um jejum que já durava 14 anos sem conquistas no principal torneio do país. O que ninguém imaginava era que essa taça seria apenas o aperitivo para a instalação de um domínio sem comparação no futebol mundial, como já falado no início do texto. Entre 1985 e 2004 foram 16 títulos, com destaque para a espetacular seqüência de 12 conquistas ininterruptas, entre 1992 e 2004.

O máximo que o Valerenga conseguiu fazer para brilhar nesse período foi na Copa local, que venceu em 1997, superando o Stromsgodset na decisão. Foi um alento para uma torcida que já sofria com 13 anos sem comemorar uma taça. O título levou o clube a disputar a última edição da Recopa, em 1998/9, na qual só parou nas quartas-de-final, derrotado pelo Chelsea.

Mas a maior decepção para os torcedores do Valerenga veio em 2004. No ano passado, parecia que o já insuportável domínio do Rosenborg iria acabar. A três rodadas do fim do campeonato, ao empatar com o Sogndal, o Valerenga assumia a liderança da competição ao lado do Rosenborg. Faltando duas rodadas e sem confronto direto entre os clubes, a decisão seria das mais emocionantes.

E foi. Mas de forma fatal para o Valerenga. Os dois conseguiram vitórias semelhantes nas duas últimas rodadas, e o Rosenborg manteve a vantagem que possuía no número de gols marcados. O triunfo do Valerenga sobre o Stabaek, por 3 a 0, acabou sendo inútil, sendo que apenas um golzinho a mais mudaria toda a história.

Mas em 2005, finalmente, o Valerenga conseguiu acabar com a ´zica´ e foi campeão norueguês pela quinta vez. A expectativa de sua torcida é que, quem sabe, esteja começando um novo domínio sem par no futebol do país.