O turno inicial do Campeonato Português 2013/14 terminou com o Benfica assumindo a liderança após a vitória por 2 a 0 no clássico sobre o Porto. Foi o primeiro jogo dos encarnados após a grande comoção pelo falecimento de Eusébio. A primeira metade da competição ficou marcada pela disputa da liderança entre os três grandes do país, algo que não havia acontecido na temporada passada. Teve o Porto às voltas com problemas para se manter no topo e o Sporting se reerguendo. Teve também surpresas negativas, como o improvável lanterna Paços de Ferreira. Confira abaixo um resumo do que cada equipe fez (ou deixou de fazer) até agora no Portuguesão.

ACADÊMICA

Colocação no final do 1º turno: 10º lugar – 5v, 3e, 7d

Treinador: Sérgio Conceição

Maior vitória: 4 x 2 Paços de Ferreira (em casa), 12/01/2014

Maior derrota: 0 x 4 Sporting (em casa), 24/08/2013

Artilheiros: Magique, Fernando Alexandre e Cleyton, com 2 gols

Competições europeias: não disputou

O ataque foi o maior problema da Acadêmica na primeira metade do Campeonato Português. Apesar de estar na mesma posição em que encerrou o primeiro turno na temporada passada (10º), a Briosa precisa se preocupar com seu setor ofensivo, autor de apenas 11 gols, a terceira pior marca da competição. Por outro lado, o time vai, mesmo sem grandes esforços, conseguindo seu objetivo principal, que é fugir do rebaixamento.

AROUCA

Colocação no final do 1º turno: 13º lugar – 4v, 3e, 8d

Treinador: Pedro Emanuel

Maior vitória: 3 x 0 Gil Vicente (fora), 22/12/2013

Maior derrota: 1 x 5 Sporting (fora), 18/08/2013

Artilheiros: André Claro, Serginho, Roberto Rodrigo, Pintassilgo e Bruno Amaro, com 2 gols

Competições europeias: não disputou

Para quem está estreando na primeira divisão, ficar na zona de rebaixamento durante um terço do primeiro turno não pode ser considerado um desastre. No caso do Arouca, as nove partidas seguidas que permaneceu sem ganhar foram compensadas por duas vitórias nas rodadas finais, que fizeram o time saltar para a 13ª colocação, três pontos acima da zona da degola. A permanência na primeira divisão ainda está longe de ficar garantida, mas o Arouca – que liderou as estatísticas de cartões amarelos recebidos, com média de 3,5 por jogo – promete brigar por isso até o fim.

BELENENSES

Colocação no final do 1º turno: 14º lugar – 2v, 6e, 7d

Treinador: Marco Paulo (antes, Mitchell van der Gaag até 5ª rodada)

Maior vitória: 2 x 0 Olhanense (em casa), 05/10/2013

Maior derrota: 0 x 3 Rio Ave (em casa), 18/08/2013; 0 x 5 Sporting (fora), 14/12/2013

Artilheiros: Miguel Rosa e João Pedro, com 3 gols

Competições europeias: não disputou

A vida não foi fácil para o Belenenses na primeira metade da temporada portuguesa. Da euforia pelo retorno à divisão principal, os azuis reais passaram à preocupação com o fantasma do rebaixamento e, o que é pior, quase conviveram com uma tragédia. O técnico holandês Mitchell van der Gaag sentiu-se mal no banco de reservas na partida frente ao Marítimo, pela 5ª rodada. O que se pensou inicialmente ser apenas uma indisposição era, na realidade, um ataque cardíaco que quase o matou. Mitchell foi afastado de suas funções, sendo substituído por Marco Paulo. Para passar menos sustos no segundo turno, o Belenenses precisa, pelo menos, inverter duas estatísticas: a de ser o time que mais empata e o que tem o pior ataque do campeonato.

BENFICA
Eusébio morreu no começo do ano e foi homenageado pela torcida do Benfica (Foto: AP)

Eusébio morreu no começo do ano e foi homenageado pela torcida do Benfica (Foto: AP)

Colocação no final do 1º turno: 1º lugar – 11v, 3e, 1d

Treinador: Jorge Jesus

Maior vitória: 3 x 0 Acadêmica (fora), 01/11/2013

Maior derrota: 1 x 2 Marítimo (fora), 18/08/2013

Artilheiro: Lima, com 7 gols

Competições europeias: Liga dos Campeões (eliminado na fase de grupos)

É impossível falar do Benfica sem citar o falecimento de Eusébio. A morte do maior ídolo do clube – e do futebol português –, ocorrida no início do ano, comoveu demais os benfiquistas. Claro que o elenco e a comissão técnica não ficaram isolados do momento de emoção e tiveram de trabalhar o psicológico para que isso não atrapalhasse dentro de campo. A reboque, veio a boa vitória sobre o Porto na última rodada do primeiro turno, que deu aos encarnados a liderança isolada do campeonato pela primeira vez na temporada. Apesar de ter perdido apenas uma vez (logo na estreia, contra o Marítimo), o Benfica pecou pela irregularidade ao longo das rodadas. Mas deve brigar pelo título até o fim.

BRAGA

Colocação no final do 1º turno: 7º lugar – 7v, 1e, 7d

Treinador: Jesualdo Ferreira

Maior vitória: 4 x 1 Olhanense (em casa), 29/11/2013

Maior derrota: 0 x 3 Nacional (fora), 06/10/2013

Artilheiros: Alan e Felipe Pardo, com 4 gols

Competições europeias: Liga Europa (eliminado nos playoffs)

Sabe aquele papo de que em campeonato de pontos corridos é melhor perder um jogo e ganhar outro do que empatar dois? Pois o Braga parece levar isso ao pé da letra. O time empatou apenas uma vez em 15 partidas durante o primeiro turno do Português. Nas demais, ganhou sete e perdeu sete. Tamanho equilíbrio só poderia deixá-lo justamente na metade da tabela de classificação. Se a campanha não é ruim, os torcedores lamentam pelo fato de não ser boa como a da temporada passada, em que, ao final do primeiro turno, os bracarenses ocupavam a terceira posição.

ESTORIL

Colocação no final do 1º turno: 4º lugar – 7v, 4e, 4d

Treinador: Marco Silva

Maior vitória: 3 x 0 Paços de Ferreira (fora), 07/12/2013

Maior derrota: 0 x 2 Vitória de Guimarães (em casa), 02/12/2013; 0 x 2 Vitória de Setúbal (em casa), 03/11/2013

Artilheiro: Evandro, com 6 gols

Competições europeias: Liga Europa (eliminado na fase de grupos)

O Estoril vem seguindo, nesta temporada, pelo mesmo caminho que trilhou em 2012/13. Longe de ser a surpresa do campeonato passado, o time já se consolida como a nova força do futebol português. No atual certame, só esteve fora do grupo dos quatro primeiros colocados em 4 das 15 rodadas disputadas. E se não tivesse tropeçado tanto contra adversários considerados do mesmo nível ou mais fracos, poderia estar ainda melhor, já que, entre os grandes, foi derrotado apenas pelo Benfica (empatou com Sporting e Porto). Deve seguir para a Liga Europa sem maiores dificuldades.

GIL VICENTE

Colocação no final do 1º turno: 8º lugar – 5v, 3e, 7d

Treinador: João de Deus

Maior vitória: 2 x 0 Acadêmica (em casa), 18/08/2013

Maior derrota: 0 x 3 Arouca (em casa), 22/12/2013

Artilheiro: João Vilela, com 3 gols

Competições europeias: não disputou

A oitava colocação, seis pontos acima da zona de rebaixamento, é mais do que o torcedor do Gil Vicente esperava quando o campeonato começou. Afinal, o time era dado como um sério postulante à degola. Por outro lado, a campanha é frustrante ao lembrarmos a euforia causada por três vitórias consecutivas, entre a sétima e a nona rodadas. Depois disso, já são seis jogos seguidos – somente na Liga – sem vencer, sendo quatro derrotas em sequência. Para não cair, o Gil Vicente vai contando mais com a ineficiência dos adversários do que com sua própria competência.

MARÍTIMO

Colocação no final do 1º turno: 11º lugar – 4v, 5e, 6d

Treinador: Pedro Martins

Maior vitória: 4 x 2 Vitória de Setúbal (em casa), 15/09/2013

Maior derrota: 0 x 3 Porto (fora), 25/07/2013

Artilheiro: Héldon, com 3 gols

Competições europeias: não disputou

A vitória sobre o Benfica logo na estreia deu falsas esperanças aos torcedores do Marítimo. Claro que o resultado foi importante, mas não serviu para que o time fugisse daquilo que já era esperado antes mesmo de o campeonato começar: a de fazer apenas papel figurativo na competição. O Marítimo esteve na zona de rebaixamento apenas ao final da 9ª rodada. Para escapar de vez da degola, porém, precisa melhorar sua defesa (a segunda pior da competição) e eliminar o recorde ser o time que mais recebeu cartões vermelhos.

NACIONAL

Colocação no final do 1º turno: 5º lugar – 6v, 6e, 3d

Treinador: Manuel Machado

Maior vitória: 3 x 0 Rio Ave (fora), 28/09/2013

Maior derrota: 1 x 3 Estoril (fora), 17/08/2013

Artilheiro: Mario Rondón, com 6 gols

Competições europeias: não disputou

O Nacional da Madeira não perde um jogo pelo Campeonato Português desde 27 de outubro. Desde então, já são sete partidas de invencibilidade, o que representa quase metade do primeiro turno. O problema é que cinco desses jogos terminaram empatados. Se não fosse o rei das igualdades na competição (lidera a estatística com seis, ao lado do Belenenses), o time alvinegro certamente estaria ainda melhor colocado. De qualquer forma, a torcida pode comemorar uma expressiva melhora em relação ao final do primeiro turno da temporada passada. São 24 pontos conquistados agora, contra 15 na competição anterior. A vaga na Liga Europa é bem possível.

OLHANENSE

Colocação no final do 1º turno: 15º lugar – 3v, 3e, 9d

Treinador: Giuseppe Galderisi (antes, Abel Xavier até 8ª rodada e Paulo Alves até 14ª rodada)

Maior vitória: 2 x 1 Vitória de Setúbal (em casa), 12/01/2014

Maior derrota: 0 x 4 Porto (fora), 20/12/2013

Artilheiro: Federico Dionisi, com 3 gols

Competições europeias: não disputou

Três técnicos, apenas três vitórias, segundo pior ataque e penúltimo colocado. O enredo do Olhanense é típico de time rebaixado. A queda para a segunda divisão só não pode ser cravada porque, além de faltar um turno inteiro para o fim do campeonato, o nível dos adversários diretos não é dos melhores. Depois de demitir Abel Xavier e Paulo Alves, a equipe de Olhão aposta no italiano Giuseppe Galderisi como o salvador da pátria. Ele estreou com vitória, na rodada de encerramento do primeiro turno. No mesmo jogo (2 a 1 sobre o Vitória de Setúbal), o time finalmente retornou ao seu estádio, o que pode ser fator importante na briga contra a degola.

PAÇOS DE FERREIRA

Colocação no final do 1º turno: 16º lugar – 2v, 3e, 10d

Treinador: Henrique Calisto (antes, Costinha até 8ª rodada)

Maior vitória: 4 x 3 Marítimo (fora), 28/09/2013

Maior derrota: 0 x 4 Sporting (fora), 01/12/2013

Artilheiros: Tiago Valente e Manuel José, com 2 gols

Competições europeias: Liga dos Campeões (eliminado no play-off) e Liga Europa (eliminado na fase de grupos)

Dos 25 pontos e o quarto lugar ao final do primeiro turno na temporada passada para os 9 pontos e a última colocação, agora. A queda vertiginosa do Paços de Ferreira é de assustar. O sonho dos castores em repetir a brilhante campanha de 2012/13, já ficou para trás faz tempo. Agora, tudo o que interessa é sair do rebaixamento, o que não será nada fácil. O time entrou na zona da degola na terceira rodada e não saiu mais. De quebra, ainda é quem coleciona o maior número de gols sofridos e de derrotas no campeonato.

PORTO
Com os gols de Jackson Martínez, o Porto está na cola dos líderes (Foto: AP)

Com os gols de Jackson Martínez, o Porto está na cola dos líderes (Foto: AP)

Colocação no final do 1º turno: 3º lugar – 10v, 3e, 2d

Treinador: Paulo Fonseca

Maior vitória: 4 x 0 Olhanense (em casa), 20/12/2013

Maior derrota: 0 x 2 Benfica (fora), 12/01/2014

Artilheiro: Jackson Martínez, com 12 gols

Competições europeias: Liga dos Campeões (eliminado na fase de grupos)

Apesar de ter passado oito rodadas na liderança, o desempenho no primeiro turno não agradou ao torcedor do Porto. O time deixou a ponta da tabela ao final da 11ª rodada e acabou finalizando a volta inicial em terceiro lugar, atrás dos rivais Benfica e Sporting. Parte da culpa está justamente na derrota para os encarnados, na rodada derradeira. Claro que a briga ainda está aberta, afinal são apenas três pontos que separam os portistas da liderança, mas não se pode vacilar. Uma nova sequência de três partidas seguidas sem vencer, por exemplo, pode colocar fim no sonho do tetracampeonato.

RIO AVE

Colocação no final do 1º turno: 9º lugar – 5v, 3e, 7d

Treinador: Nuno Espírito Santo

Maior vitória: 3 x 0 Belenenses (fora), 18/08/2013

Maior derrota: 0 x 3 Nacional (em casa), 28/09/2013

Artilheiros: Tarantini e Ukra, com 12 gols

Competições europeias: não disputou

O Rio Ave faz uma campanha apenas regular. Se ainda não é suficiente para brigar por uma vaga nas competições europeias, o desempenho obtido até agora mantém o time longe da zona de rebaixamento sem maiores esforços. Com a base da temporada passada mantida e conhecendo bem o seu elenco, o técnico Nuno Espírito Santo vai mantendo a equipe na zona intermediária da tabela, longe de qualquer perigo.

SPORTING

Colocação no final do 1º turno: 2º lugar – 10v, 4e, 1d

Treinador: Leonardo Jardim

Maior vitória: 5 x 1 Arouca (em casa), 18/08/2013

Maior derrota: 1 x 3 Porto (fora), 27/10/2013

Artilheiros: Fredy Montero, com 13 gols

Competições europeias: não disputou

Ter passado todo o primeiro turno entre os três primeiros colocados (apenas uma rodada em terceiro e todas as demais se alternando entre primeiro e segundo) é a prova da recuperação do Sporting. Depois de ter feito a pior campanha de sua história, na temporada passada, o clube vem se reerguendo tanto na parte esportiva quanto na administrativa. Mesmo sem grandes estrelas à disposição, Leonardo Jardim conseguiu montar um belo time, que deve brigar de igual para igual com Porto e Benfica pelo título. O Sporting ainda fechou o primeiro turno como a única equipe com média superior a dois gols por jogo e dono, também, da melhor defesa.

VITÓRIA DE GUIMARÃES

Colocação no final do 1º turno: 6º lugar – 7v, 2e, 6d

Treinador: Rui Vitória

Maior vitória: 3 x 0 Acadêmica (em casa), 21/12/2013

Maior derrota: 1 x 4 Vitória de Setúbal (em casa), 31/08/2013

Artilheiros: Marco Matias, com 5 gols

Competições europeias: Liga Europa (eliminado na fase de grupos)

O Vitória de Guimarães é mais um a engrossar a lista dos times que figuram todo o campeonato na parte mediana da tabela. Durante todo o primeiro turno, a melhor colocação obtida foi o 5º lugar (ao final da 1ª e da 14ª rodadas), enquanto o nível mais baixo alcançado foi a 10ª colocação (ao término da 5ª e 6ª rodadas). O equilíbrio é visto até no saldo de gols: embora marque pouco – balançou as redes apenas 16 vezes –, a equipe também sofre poucos gols – foram 13. Se melhorar um pouco o desempenho, tem chances de entrar para a turma que vai à Liga Europa.

VITÓRIA DE SETÚBAL

Colocação no final do 1º turno: 12º lugar – 4v, 4e, 7d

Treinador: José Couceiro (antes, José Mota até 7ª rodada)

Maior vitória: 4 x 1 Vitória de Guimarães (fora), 31/08/2013

Maior derrota: 0 x 4 Sporting (fora), 05/10/2013

Artilheiros: Ramón Cardozo, com 5 gols

Competições europeias: não disputou

A troca de técnico após a sétima rodada deu gás novo ao Vitória de Setúbal. Quando José Couceiro chegou, a equipe permaneceu cinco jogos invicta. Depois disso, porém, já são três derrotas consecutivas, o que fez acender o sinal de alerta no clube. Embora tenha estado na zona de classificação somente uma vez até agora, o Vitória de Setúbal rondou os últimos lugares durante todo o primeiro turno. O máximo que conseguiu foi a 9ª posição, ao final da 12ª rodada. Na segunda volta, precisa engatar outra boa sequência, para afastar de vez o risco de rebaixamento.