Louis van Gaal é sempre uma figura controversa, mas também é um técnico de muito sucesso. Não é de hoje que ele chama a atenção pelo estilo. Sua carreira tem muitos sucessos e ele levou o Ajax ao seu último grande momento, em 1995, com um time cheio de jovens jogadores que se tornariam estrelas do futebol mundial, como Davids, Seedorf e Kluivert. Depois de uma boa Copa do Mundo com a Holanda, o treinador assumiu o Manchester United e tem trazido muitas mudanças, em campo e fora dele. O ex-jogador Gary Neville foi até o centro de treinamento de Garrington e entrevistou o novo comandante para o jornal The Telegraph, que disse palavras fortes, como é a sua característica. Ele diz que está mudando o time, que jogava de modo instintivo e agora tem que pensar mais. Diz que é diferente dos técnicos anteriores. E que o seu trabalho é de longo prazo.

LEIA TAMBÉM: O Guia Corneteiro da Premier League 2014/15

O Manchester United estreou na Premier League perdendo em casa do Swansea por 2 a 1, um resultado absolutamente pouco comum na história recente do clube. Mesmo assim, Van Gaal exala confiança e mostra que ele tem, sim, planos para o clube e que não são apenas para resultados imediatos. “Eu disse que nós precisamos de tempo. Nós temos que construir um novo time, e isso não pode acontecer em um dia. É um processo, e o processo está começando agora. Todos os meus times não eram bons no começo. Eles precisam trocar de instintivo para pensar. Cérebro. É muito difícil. Eu treino de outra forma em relação aos técnicos anteriores [Moyes e Ferguson], e isso é difícil”, afirmou.

Um dos grandes pontos trazidos por Van Gaal na Copa do Mundo foi o uso de três zagueiros, um 5-3-2 que funcionou bem para a Holanda, inclusive jogando com um atacante de origem como um ala, Dirk Kuyt – algo que ele parece tentar repetir com Ashley Young, escalado como ala pela esquerda em alguns dos jogos sob o comando do treinador tanto na pré-temporada quando na estreia.

Por que usar esse esquema? Van Gaal respondeu. “Porque é mais fácil para defender. Quando você joga assim, está sempre a menos de 15 metros [entre os zagueiros] e é mais fácil defender quando você se comunica bem. Quando você joga com três zagueiros, os laterais podem avançar. Ao mesmo tempo. É um risco, mas eu sou um técnico que arrisca. Então você tem que trocar o modo de jogo. E você sabe que todos os jogadores de lado de campo estão livres”.

Depois de David Moyes, a contratação de Van Gaal é vista como um choque de gestão, como gostam de dizer os administradores. É um técnico experiente e que não vem seguir uma cartilha de outro, como Moyes. Ele vem para implantar o seu jeito de trabalhar. E foi isso que o fez ser contratado. “Eles me contrataram pela minha filosofia. Eles disseram isso. Eu acho que terei apoio. Penso que em longo prazo, nunca em curto. Porque eu não estou aqui para mim mesmo, estou aqui pelo clube. Quando você quer desenvolver o seu time, você sempre precisa de decisões a longo prazo. Na primeira partida, seria melhor para mim jogar com Van Persie. Não é bom para Van Persie, porque ele precisa estar em forma para jogar”, disse o técnico.

LEIA TAMBÉM: O apego às raízes explica por que Reus e Müller recusaram o Manchester United

Van Gaal reafirmou seu compromisso de trabalhar com jovens e deu muitos exemplos de jogadores que tiveram chances com ele e se desenvolveram na carreira. “Eu quero que meus jogadores desempenhem bem a minha filosofia. E eu sei quais jogadores estão se encaixando na minha filosofia. E quando é um jogador jovem, é bom. Quando você tem 26 ou 27 anos, você é mais do que quando você tem 21. Mas quando você não os á nenhuma chance, então ninguém pode entrar no time. Quando você olha o meu currículo, eu joguei com Xavi, Iniesta, Thiago Motta – ele está no PSG agora -, Puyol: eu dei a eles todos as suas estreias no time principal. Também no Bayern de Munique: Kroos, Müller, Alaba, Badstuber e eles ainda estão jogando. Não é um olho ruim, eu acho”, afirmou.

Apesar de ter trabalhado com os jovens do Ajax que foram campeões europeus – Seedorf tinha 17 anos na final de 1995 e Kluivert, que fez o gol da vitória, tinha 18 -, Van Gaal diz que os dois melhores jovens com quem trabalhou foram os espanhóis. “Xavi e Iniesta. Talvez iniesta porque ele é um jogador mais explosivo e isso é o modo como futebol é jogador agora. Mas [o melhor foi] Xavi”, afirmou. O jeito Van Gaal de ser demorará a ser completamente visto em campo? Gary Neville perguntou isso ao técnico e ele pareceu bastante confiante. “Isso depende das personalidades no elenco. Eu não posso dizer, mas na maioria das vezes, dois ou três meses. Eu disse isso nas coletivas de imprensa”, explicou.

Se Van Gaal dará certo, ou se ele ganhará o título da Premier League – ou outros títulos – nós não sabemos. O que sabemos é que teremos um time interessante para ver e que talvez traga mudanças em um clube que nos acostumamos a não ver mudanças. Vale sempre ficar de olho.