Cinco rodadas para que a Juventus vencesse sua primeira partida na Liga dos Campeões. Uma espera que combinou falta de sorte e também um pouco de incompetência da Velha Senhora nas rodadas anteriores. A quebra do jejum veio com uma pitada de sofrimento, ainda que não tenha sido suficiente para estragar a festa em Turim. Vitória por 3 a 1 sobre o Kobenhavn, que alçou os bianconeri da lanterna à segunda colocação e deixou a equipe dependendo apenas de um empate para avançar às oitavas de final.

O nome do jogo foi um só: Arturo Vidal. O chileno deu outra mostra de seu protagonismo no elenco de Antonio Conte ao anotar os três tentos da Juve na partida. O volante é o artilheiro do time na LC, anotando cinco dos nove gols da equipe – quatro deles anotados de pênalti, dois convertidos hoje. O camisa 23, aliás, iguala Lionel Messi em 2011/12 como o jogador a anotar mais tentos da marca da cal em uma única edição da Champions.

Uma façanha que também alça Vidal a um lugar privilegiado na história. É o primeiro chileno a anotar um hat-trick na Liga dos Campeões e o terceiro jogador da Juventus – considerando apenas a fase moderna da competição, a partir de 1992/93. Igualou as marcas de Alessandro Del Piero e Pippo Inzaghi, o último a registrar o feito, em 2000. Nada mal para quem tem a missão mais de destruir do que de construir. E um apelo a mais para quando quiser pedir um aumento de salário.

Vidal foi quem mais finalizou na partida, com cinco chutes (Fonte: Squawka)

Vidal foi quem mais finalizou na partida, com cinco chutes (Fonte: Squawka)