Não bastasse uma, a Liga dos Campeões contou com duas atuações espetaculares de goleiros na rodada desta quarta. Alisson e David de Gea protagonizaram algumas das defesas mais impressionantes da competição nos últimos anos. E permitiram que suas equipes voltassem para casa em situações um pouco menos incômodas. O Manchester United pôde comemorar o empate por 0 a 0 contra o Sevilla no Ramón Sánchez-Pizjuán. Já a Roma perdeu para o Shakhtar Donetsk por 2 a 1, mas se safou de levar uma goleada durante o segundo tempo.

No conjunto, De Gea se saiu melhor. Manteve a meta invicta, graças a três milagres no primeiro tempo. Na mais impressionante, voou para espalmar uma cabeçada à queima-roupa de Luis Muriel. Em um eventual “Prêmio Puskás” das defesas, seria fortíssimo candidato. A temporada do espanhol, no entanto, o referenda bastante ao recém-criado prêmio de melhor goleiro da Fifa – assim como Alisson. Vem pegando muito não é de hoje e, se os resultados dos Red Devils são satisfatórios, dependem demais da forma do arqueiro.

Alisson, por sua vez, não conseguiu ser perfeito. Não teve o que fazer no tento de Facundo Ferreyra e não saltou a tempo para salvar a cobrança de falta cirúrgica de Fred. Ainda assim, pegou demais no segundo tempo. Barrou uma bomba de Marlos dentro da área, esticando o braço no ponto cego. E quando Taison caprichou na finalização, batendo de três dedos, o camisa 1 voou no cantinho. Quando a fase é boa, a santidade se transmite até aos companheiros. Nos instantes finais, a narração exaltou o arqueiro, mas foi Bruno Peres quem evitou um gol certo quase em cima da linha. Os romanistas agradecem ambos.

Abaixo, a coleção de defesaças dos craques de luvas: