A comparação é corriqueira – e também soa como clichê, eu sei. Toda vez que um goleiro faz uma sequência de defesas difíceis, a imprensa brasileira lembra-se de Rodolfo Rodríguez. O que a lenda uruguaia fez na meta do Santos durante o Paulistão de 1984, de fato, é inacreditável. Aquele lance tornou-se a “mãe dos milagres consecutivos”. E o bigodudo continuará sendo evocado por mais um tempo, não apenas para fazer paralelos, mas também para se exaltar o que aconteceu naquele partida contra o América, na Vila Belmiro. Há outras sequências para se lembrar, como a de Franco Armani no Atlético Nacional x Rosário Central da Libertadores 2016. Mas o santista segue como a referência básica.

Neste sábado, se aproximaram do uruguaio. A defesa à Rodolfo Rodríguez aconteceu na Holanda, em um jogo de pouca projeção da Eredivisie. Mas se você lê o nome de Roy Kortsmit aqui, acredite, ele fez por merecer. O goleiro do Sparta Roterdã não evitou a derrota por 1 a 0 para o ADO Den Haag, mas o que fez para negar o segundo gol aos anfitriões é espetacular. Não são apenas quatro defesas em sequência. O grau de dificuldade de cada intervenção é imenso, especialmente o da terceira, em desvio totalmente inesperado. Para se apreciar.