A nova cara que a Copa do Brasil recebeu no último ano só a engrandeceu. O calendário anual e o retorno dos participantes da Libertadores revigoraram a disputa. Porque, afinal, a Copa do Brasil não é apenas um passaporte ao sonho de conquistar a América. É um título de grande valor, o segundo mais importante do país. E, para os entusiastas dos mata-matas, também a grande competição do futebol brasileiro nesta fórmula. A noite vivida nesta quarta-feira já pode ser considerada uma das mais épicas da história da Copa do Brasil. Justamente para ressaltar como o torneio também é sensacional, em três jogos inesquecíveis.

VEJA TAMBÉM: Acostumado ao impossível, Grêmio é o time certo para lutar contra o racismo

A primeira prova de que a data não deverá ser esquecida tão cedo foi dada na Arena da Baixada. O primeiro dos jogos para cardíaco da noite. O Atlético Paranaense vencia o América de Natal por 2 a 0, no reencontro com sua torcida após semanas de estádio vazio. Precisava de apenas um gol para a classificação. Não conseguiu por pouco, em um bate-rebate na área potiguar que durou segundos, mas pareceu uma eternidade para as duas torcidas.

Já na sequência, dois grandes momentos para os cariocas. É verdade que a arbitragem deixou muito a desejar no Maracanã e no Castelão, mas não dá para ignorar o poder de superação do Flamengo e do Botafogo (nem os erros de Coritiba e Ceará). Os rubro-negros precisavam reverter os 3 a 0 tomados para o Coritiba na ida e, com dois pênaltis controversos, conseguiram levar a decisão para a marca da cal. Foram mais 12 penais e apenas cinco acertos, com Vanderlei e Paulo Victor brilhando. Entretanto, a falta de competência dos flamenguistas foi menor, assim como a estrela de seu goleiro foi maior.

LEIA MAIS: Palmeiras e Santos vão mal? A culpa é toda do Ituano

Já os alvinegros tomaram a virada e ficaram duas vezes atrás no placar contra o Ceará. Mas o apagão no Castelão serviu para iluminar o time da Estrela Solitária. Tem coisas que só acontecem com o Botafogo? Gols aos 49 e aos 50 do segundo tempo, dando a vitória por 4 a 3 e a classificação pelos gols agregados, parece que sim. Ainda mais em tamanha insanidade. Ao apito final, os jogadores do Vozão ainda foram pressionar o árbitro por ter ido além dos acréscimos prometidos, mas não impediu a comemoração dos botafoguenses pelo feito.

Você pode até preferir o Brasileirão sem pontos corridos. Mas, para hoje, o que tem de mata-mata é a Copa do Brasil. Vale aproveitar porque está bom demais, e as próximas fases prometem.

Abaixo, os vídeos dos épicos: o lance final na Baixada, os pênaltis no Maracanã e os gols no Castelão