Depois de muitas semanas de boatos nos Estados Unidos e na França, Patrick Vieira finalmente foi anunciado como novo treinador do Nice a partir da próxima temporada. Apesar de ter negado qualquer contato da equipe francesa, a despedida aconteceu neste domingo (10). Após dois anos e meio comandando o New York City FC, o ex-jogador se arrisca em um novo desafio, muito maior, mas deixa marcas profundas na Major League Soccer.

Vieira começou seu trabalho no NYCFC em janeiro de 2016. A equipe vinha de uma fraca temporada de estreia, comandada por Jason Kreis, quando não conseguiu nem se classificar para os playoffs. Usando os conhecimentos que aprendeu na academia do Manchester City, o francês logo mudou o estilo da equipe. Transformou o NYCFC em uma das equipes mais interessantes de acompanhar na MLS, com muita posse de bola, ótimo poderio ofensivo e defesa sólida.

Ao longo dos 30 meses no comando do NYCFC, Patrick Vieira fez 89 partidas, com 39 vitórias, 22 empates e 28 derrotas. Sob seu comando, o time nunca passou da quarta fase da US Open Cup, é verdade, mas alcançou os playoffs duas vezes. Nas duas ocasiões, porém, foi eliminado nas semifinais, mas fez campanhas consistentes, sempre comandado pelo atacante espanhol David Villa.

Atualmente, o NYCFC ocupa a segunda colocação na Conferência Leste e o quarto lugar na tabela geral. Sem Vieira, saindo no meio da temporada, fica um ar de indefinição sobe o futuro da equipe. A pausa na Copa, que será de apenas duas semanas na Major League Soccer, pode ajudar a filial do Manchester City a arrumar um treinador, mas ele terá pouco tempo para implementar suas ideias e seu estilo de jogo.

Depois de bons anos sob comando de Vieira, o futuro do New York City volta a ser uma incógnita. Fora da US Open Cup, – eliminado pelo rival NY Red Bulls – o NYCFC que começou brigando pelo título pode perder qualidade e ficar bem longe de levantar a taça mais uma vez. Seria um desperdício pelo elenco que montou, principalmente na última janela.