Depois de fechar a temporada 2011/12 com derrota na final da Copa da Itália, a Juventus se vingou do Napoli e se sagrou campeã da Supercopa Italiana pela quinta vez. Em final realizada no estádio Ninho de Pássaro, na China, os bianconeri começaram em desvantagem no placar, mas sacramentaram a vitória por 4 a 2 na prorrogação. A equipe foi comandada por Massimo Carrera, assistente de Antonio Conte, suspenso por envolvimento em escândalo de manipulação de resultados.

A Juventus começou no comando da partida. Os bianconeri mantinham maior posse de bola, embora fossem pouco produtivos no ataque e não encontrassem espaços para finalizar. Justamente em um contra-ataque, o Napoli abriu o marcador, com Cavani. Apesar de sentir o gol, a Vecchia Signora buscou o empate ainda no primeiro tempo, com Asamoah, mas Pandev voltou a deixar os partenopei em vantagem logo na sequência.

Na volta do intervalo, a Juve entrou com uma postura bastante incisiva. Vucinic, que saiu do banco, quase garantiu o empate, mas De Sanctis fez defesa salvadora, desviando chute que bateu no travessão. O empate, porém, sairia somente aos 28 minutos, em pênalti convertido por Vidal. E a situação do Napoli se complicou ainda mais no dez minutos finais, quando Pandev e Zúñiga foram expulsos, deixando o time com nove jogadores em campo.

Com liberdade suficiente, os bianconeri passearam durante a prorrogação. Maggio fez, contra, o gol que decretou a virada e Vucinic ampliou a diferença ainda na primeira etapa do tempo extra. Já nos 15 minutos finais, a Juve seguiu melhor, mas não ampliou a goleada. Descontente com a arbitragem, o Napoli boicotou a cerimônia de premiação após o término da partida.

Destaque do jogo

Mirko Vucinic. A entrada do montenegrino no lugar de Alessandro Matri mudou a cara da Juventus. Dando mobilidade ao time, o atacante passou a criar as oportunidades de gol que faltaram durante o primeiro tempo. Sebastián Giovinco também cresceu no jogo, enquanto Kwadwo Asamoah teve grande atuação pelo lado esquerdo.

Momento-chave

A expulsão de Zúñiga. O Napoli já se encontrava em apuros e a situação piorou depois que Pandev recebeu vermelho, depois de reclamar com o assistente. Nos acréscimos do segundo tempo, porém, o colombiano desequilibrou de vez sua equipe, após falta dura em Giovinco que rendeu o segundo amarelo.

Os Gols

27’/1T – GOL DO NAPOLI! Lançado por Pandev, Cavani partiu em velocidade da intermediária, sem marcação. Buffon conseguiu dar um tapa na bola no mano a mano, mas o uruguaio aproveitou a sobra para balançar as redes.

37’/1T – GOL DA JUVENTUS! Inversão de Vidal para Asamoah, posicionado no bico da grande área. De primeira, o meio-campista soltou a bomba para vencer o goleiro De Sanctis.

40’/1T – GOL DO NAPOLI! Após chutão dado pela defesa dos partenopei, Pandev rouba a bola de Bonucci no campo de ataque e parte livre em direção ao gol. De frente com Buffon, o atacante teve frieza suficiente para dar um toque de classe por cima do goleiro.

28’/2T – GOL DA JUVENTUS! Vucinic é derrubado dentro da área por Fernández. Vidal cobra firme no canto esquerdo de De Sanctis, que caiu para o outro lado.

6’/1T da prorrogação – GOL DA JUVENTUS! Pirlo cobra falta pelo lado direito e, depois de De Sanctis não achar nada, Maggio completa de cabeça contra o próprio patrimônio.

11’/1T da prorrogação – GOL DA JUVENTUS! Asamoah cruza da esquerda e Marchisio dá um passe magistral de primeira, encontrando Vucinic livre na área. O montenegrino não perdoou, tocando por baixo de De Sanctis.

Ficha técnica

Juventus 4×2 Napoli

Local: Estádio Nacional, em Pequim (CHN)
Data: 11/ago, sábado
Árbitro: Paolo Mazzoleni
Gols: Edinson Cavani, aos 27’/1T; Kwadwo Asamoah, aos 37’/1T; Goran Pandev, aos 40’/1T; Arturo Vidal, aos 28’/1T; Christian Maggio (contra), aos 6’/1T da prorrogação; Mirko Vucinic, aos 11’/1T da prorrogação.
Cartões amarelos: Leonardo Bonucci, Sebastian Giovinco e Stephan Lichtsteiner (Juventus); Cristian Zúñiga, Valon Behrami, Edinson Cavani, Paolo Cannavaro e Miguel Britos (Napoli)
Carões vermelhos: Goran Pandev e Juan Zúñiga (Napoli)

Juventus
Gianluigi Buffon, Andrea Barzagli, Leonardo Bonucci e Lúcio; Stephan Lichtsteiner (Simone Padoin, aos 44’/2T), Arturo Vidal, Andrea Pirlo, Claudio Marchisio e Kwadwo Asamoah; Sebastian Giovinco (Emanuele Giaccherini, aos 11′/2T da prorrogação) e Alessandro Matri (Mirko Vucinic, no intervalo). Técnico: Massimo Carrera

Napoli
Morgan De Sanctis, Hugo Campagnaro, Paolo Cannavaro (Federico Fernández, aos 16’/2T) e Miguel Britos; Christian Maggio, Valon Behrami, Gokhan Inler (Andrea Dossena, no intervalo da prorrogação), Marek Hamsik (Walter Gargano, aos 22’/2T) e Juan Zúñiga; Goran Pandev e Edinson Cavani. Técnico: Walter Mazzarri.