Foi na rua Libero Badaró, no número 40 da época, na esquina com a Praça do Patriarca, que o Palmeiras teve a sua primeira sede. Foi este local que virou hospital para tratar os doentes da Gripe Espanhola

Visitamos os pontos turísticos do Palmeiras no dia do centenário; veja

Uma loja de bolsas, famosa, no centro da cidade de São Paulo, foi o local da fundação do Palmeiras, há exatos cem anos. A maioria dos transeuntes que passa pelo centro da cidade nem imagina que ali era o endereço do Salão Alhambra, que recebeu a primeira reunião do Palestra Italia. Nem que o nome daquela rua costumava ser Marechal Deodoro, que mudou de nome e ganhou placa da Praça da Sé.

LEIA MAIS: As histórias mais palestrinas dos 100 anos do Palmeiras

Em cem anos, uma cidade passa por diversas transformações e nem sempre a história é mantida. O centro de São Paulo, por exemplo, é guardião de muita história do Palmeiras, como a sede que virou hospital para tratar os infectados com a gripe espanhola, a redação do jornal Fanfulla, que publicou o anúncio da fundação, e outra sede histórica, o Edifício Martinelli, o último antes da mudança definitiva para a Barra Funda.

No dia em que o clube completa cem anos, fomos visitar os principais pontos turísticos do Palmeiras ao redor da cidade. Também passamos pelo Palestra Itália, obviamente, e pela Major Maragliano, na Vila Mariana, o primeiro campo de futebol que o clube teve.

Registramos o que vimos para o torcedor descobrir como os locais mais importantes da história do Palmeiras estão atualmente:

Confira nossa cobertura do centenário do Palmeiras:

>>>> Seis momentos em que o Palmeiras foi mais que um clube

>>>> Os melhores times que o Palmeiras teve, além das Academias de Futebol

>>>> Como o Palmeiras ajudou a criar um dos bordões mais utilizados da política brasileira

>>>> Palestra Itália: da fazenda de porcos à arena moderna 

>>>> As óperas do século 19 explicam a torcida do Palmeiras

>>>> Jornal que ajudou a fundar o Palmeiras ainda vive, com um editor corintiano

>>>> O que é ser palmeirense, na visão de uma apaixonada do tradicional bairro da Mooca

>>>> Por que a Taça Rio foi importante, independente de ser Mundial ou não