Times de futebol conhecem o céu e o inferno em função de seus resultados. O Vitesse não foi o primeiro, nem será o último. Ainda assim, impressionou a queda que o clube holandês protagonizou nesta semana. Em 30 de abril, a agremiação de Arnhem se consagrava: ao fazer 2 a 0 no AZ, conquistava a Copa da Holanda, seu primeiro título em 125 anos de história. Pois nesta quarta, o Vites se converteu no primeiro campeão da história da KNVB Beker a cair já na primeira fase do torneio: foi eliminado nos pênaltis pelo amador AVV Swift, da Hoofdklasse, a quinta divisão holandesa.

Clube pequeno a ponto de ter o seu “estádio” numa praça de esportes de Amsterdã, a Sportpark Olympiaplein, o Swift começou como o azarão óbvio. A ponto do Vitesse ter poupado três dos jogadores que atuaram no empate contra o VVV-Venlo, na rodada passada do Campeonato Holandês. E nem causou tanta preocupação assim a ausência do técnico Henk Fräser, que não esteve no banco por causa de uma gripe. Ainda assim, o dono da taça da KNVB Beker criou mais chances no primeiro tempo, com Milot Rashica (dois chutes defendidos pelo goleiro do Swift, Bogdan Constantin) e Luc Castaignos (finalização salva em cima da linha).

No segundo tempo, o Vitesse continuou tentando, mas o Swift não só se esforçava, como também começava a ousar mais – por exemplo, numa tentativa de Jaap Smeeing, que o goleiro do Vitesse, Remko Pasveer, defendeu. Vendo o perigo de uma zebra crescer, o time da Eredivisie teve em campo Tim Matavz, que saiu do campo para tentar marcar o gol. O atacante esloveno ainda teve uma chance antes do fim dos 90 minutos, mas a perdeu. Nos 30 minutos de prorrogação, nada.

E vieram os pênaltis. Numa Olympiaplein que já estava apinhada de gente para testemunhar o sonho do Swift, foi justamente um dos mais experientes jogadores do Vitesse – Alexander Büttner, com passagens por Manchester United e Besiktas – que colocou seu clube em desvantagem, ao perder a primeira cobrança. De resto, todos converteram. Até que Mark Ruijter fez o 5 a 3 decisivo, para fazer a Olympiaplein explodir.

E enquanto o Vitesse amargava o que talvez já seja o vexame da temporada no futebol holandês, o AVV Swift vivia um dos grandes dias de sua história de 107 anos. Como se não fosse um jogo de Copa da Holanda, mas apenas uma pelada no parque. E pelas imagens abaixo, dos pênaltis decisivos, não era?