A visita do Sevilla ao Estádio Santiago Bernabéu no primeiro turno serviu para o Real Madrid ganhar forças. Os merengues tinham feito um jogo apagado contra o Barcelona no Camp Nou e, depois da derrota por 2 a 1, precisavam provar para si mesmos que eram bem melhores do que aquilo. Foi o que fizeram. Em atuações espetaculares de Cristiano Ronaldo e Gareth Bale, massacraram por 7 a 3. Uma partida totalmente diferente do reencontro nesta quarta, no Estádio Ramón Sánchez-Pizjuán. O Real não foi tão mal, mas esteve longe de suas melhores noites. Acabou tomando a virada por 2 a 1 de um adversário em arrancada fulminante.

O time de Carlo Ancelotti teve seus problemas. O ataque pecou demais na pontaria, com o gol de Cristiano Ronaldo saindo apenas em uma cobrança de falta em bola desviada, enquanto o próprio camisa 7 carimbou a trave.  Enquanto isso, o goleiro Beto também fez boas defesas, sobretudo no primeiro tempo. Enquanto isso, a defesa foi passiva demais nos dois gols do Sevilla. Ainda assim, os méritos dos rojiblancos são bem maiores que as brechas merengues.

Os dois gols da equipe foram marcados por Carlos Bacca, que não perdoou ao sair de frente para Diego López. Atualmente, um dos melhores centroavantes do futebol espanhol. O colombiano chegou a 14 tentos anotados na Liga, quatro nos últimos quatro jogos, superando a escassez que enfrentou entre janeiro e fevereiro. Balançando as redes em um de cada quatro finalizações, possui ótimo aproveitamento quando tem chance de marcar. E provou isso hoje.

Entretanto, o grande nome do Sevilla é mesmo Ivan Rakitic. O time é outro quando o croata não joga. E o lance do segundo gol exemplifica bem como o meia está jogando demais. Ele aplicou um chapéu em Pepe e deu uma excelente enfiada de bola para Bacca. Foi a décima assistência do capitão rojiblanco, que também soma dez gols na competição. Segundo as notas dadas pelo WhoScored, site que classifica os jogadores conforme as estatísticas, apenas Lionel Messi e Cristiano Ronaldo estão acima da referência sevilhana.

A fase é tão boa que o Sevilla chegou à sexta vitória consecutiva na Liga. Soma 50 pontos, apenas seis a menos que o quarto colocado Athletic Bilbao, com esperanças de conquistar a última vaga para a Liga dos Campeões. E ainda está vivo na Liga Europa. Depois de reverter a situação no clássico contra o Betis e se classificar nos pênaltis, a equipe de Unai Emery pegará o Porto, em duelo de dois bicampeões recentes do torneio.

Enquanto isso, o Real Madrid precisa parar e respirar. É óbvio que o tropeço contra o Sevilla não tira o time da briga pelo título da Liga, somente três pontos atrás do líder Atlético de Madrid – que venceu o Granada por 1 a 0, gol de Diego Costa. Entretanto, é a primeira vez desde 2008/09 que os merengues sofrem duas derrotas seguidas no campeonato nacional. O jogo contra o Rayo Vallecano na próxima rodada é uma ótima oportunidade para retomar os prumos. Especialmente diante do equilíbrio nesta temporada, na qual quaisquer pontos perdidos podem custar caro demais no fim da campanha.