A falta de Walcott e o grito de dor de Azpilicueta (Foto: AP)

Você sabia que os jogadores de Arsène Wenger também cometem faltas?

Não há dedos na mão para contar quantas vezes Arsène Wenger reclamou que os adversários eram muito violentos, praticavam o anti-jogo, o anti-futebol, o anti-estilo-de-jogo-que-ele-gosta. O curioso é que, próximo do seu milésimo jogo como treinador do Arsenal – já tem 994 -, o francês teve 100 jogadores expulsos. O último deles foi o goleiro Szczesny, na quarta-feira passada, nas oitavas de final da Liga dos Campeões, contra o Bayern de Munique.

Isso é muito? Isso é pouco? Isso é uma média de um jogador que recebe cartão vermelho a cada dez jogos, mas o dado interessante é outro. Muitas dessas críticas de Wenger foram feitas depois de jogos contra o Manchester United. Em 2009, por exemplo, reclamou do excesso de faltas do rival, depois de uma derrota por 2 a 0, em Old Trafford.

Agora, sabe quantas vezes um jogador de Alex Ferguson, em 1500 jogos e 27 anos, foi expulso? Metade. Apenas 49 vezes, média de uma a cada 30 partidas. Isso quer dizer que o Arsenal é o time mais violento do império britânico? Não, mas os comandados de Wenger também não são santinhos apaixonados pelo jogo limpo. Fazem falta quando é necessário, que nem qualquer outra equipe.

Às curiosidades. Foram 50 jogadores diferentes que receberam cartões vermelhos, contra 42 times, e 15 deles vieram em partidas da Liga dos Campeões. O recordista de banhos precoces é Patrick Vieira, com dez. Pegamos a lista com todas elas no 101greatgols.

arsene-wenger-arsenal-100-red-cards