A história emocionante deste final de semana vem do Old Trafford, mas não tem nada a ver com David Moyes voltando a vencer após três derrotas seguidas. Nas arquibancadas – ou melhor, em um dos camarotes – do Teatro dos Sonhos, estava John Booth, o grande personagem do jogo entre Manchester United e Swansea. Há quatro semanas, John descobriu que teria apenas mais seis meses de vida, por causa de uma complicação de seu câncer estomacal, descoberto há três anos. Diante disso, seu principal desejo era o de se despedir do clube pelo qual torceu a vida toda, em um jogo em casa. Com uma ajuda especial de Ashley Young, o fanático Red Devil conseguiu realizar isso.

Rob Booth, filho de John, sabia que, pelo estado de saúde de seu pai, levá-lo à arquibancada poderia ser perigoso: “Levamos-no ao jogo com o Newcastle, e ele desmaiou dois minutos antes do início da partida. Acabamos no hospital”.Portanto, Rob teve a ideia de espalhar a história de John no Twitter, para ver se conseguiria, de alguma forma, encontrar alguém que possibilitasse a seu pai assistir ao jogo com o Swansea de dentro de um dos camarotes. A história repercutiu na rede social, e Ashley Young, mesmo sem ter recebido uma menção direta, viu um dos tuítes e se prontificou a dar um jeito.

A família Booth entrou em contato com o jogador do Manchester United, e John pôde assistir ao triunfo da equipe de dentro do camarote do atleta no Old Trafford. Antes da partida, John Booth falou, empolgado: “Meu primeiro jogo foi em 1968. Eu costumava pegar o assento de número 70 e ficar na Stretford End (setor mais animado do estádio dos Red Devils). Nunca achei que eu voltaria. Isso restaura a sua fé na humanidade.”

A alegria estampada no rosto de John ao encontrar Young, em uma foto postada no Twitter após a partida, mostra que o velho torcedor não poderia ter escolhido uma maneira melhor de se despedir. Antes do jogo, ele havia dito que estava “tendo a oportunidade de tornar as coisas menos doloridas o quanto podia para seus parentes” e que fazer algo como isso (ir ao jogo) “era fantástico”. Certamente, após o dia de alívio para Moyes e seus comandados, tudo ficou ainda melhor.