A derrota por 3 a 1 para o Porto abalou o Bayern de Munique. A classificação segue palpável aos alemães, mas já deixou suas sequelas. Pep Guardiola não perdeu seu emprego por causa do tropeço, mas um dos nomes mais importantes de sua comissão técnica. Considerado um dos maiores especialistas em medicina esportiva do mundo, Hans-Wilhelm Müller-Wohlfhart trabalhava no clube desde 1977. Preferiu se demitir junto com toda a equipe médica dos bávaros, após serem responsabilizados pelo resultado inesperado em Portugal.

VEJA TAMBÉM: Do jeito que a zaga jogou, Bayern teve sorte de levar só de 3 a 1 do Porto

O conflito aconteceu nos bastidores, mas a demissão de Müller-Wohlfhart o tornou público.  “Depois da partida, o departamento médico foi, por alguma razão inexplicável, colocado como responsável primário. Quebraram a confiança”, declarou o médico, através de uma nota oficial. Segundo a imprensa alemã, sua relação com Guardiola já estava desgastada há tempos. O treinador se incomodava com a ausência do funcionário no cotidiano do clube, sempre atendendo os jogadores fora do centro de treinamentos. O tratamento de Thiago Alcântara em Barcelona, sob consentimento de Guardiola, marcou a cisão. Além disso, quando Benatia se lesionou, o técnico chegou a aplaudir ironicamente o banco de reservas.

De fato, o Bayern lida com vários problemas de lesão neste momento – ainda que elas indiquem mais fatalidades do que erros de tratamento. Robben, Ribéry, Javi Martínez, Alaba e Benatia atualmente estão no estaleiro, enquanto Badstuber, Thiago Alcântara, Lahm e Schweinsteiger também tiveram sérios problemas recentes. De qualquer forma, vale salientar o trabalho feito com jogadores como Robben, que por muito tempo teve fama de “canela de vidro”, mas superou as lesões frequentes nos últimos anos.

Em 2008, o médico chegou a deixar o Bayern, após brigar com o técnico Jürgen Klinsmann (um de seus ex-pacientes), mas retornou sob o comando de Louis van Gaal. Além do clube, Müller-Wohlfhart também trabalha para a seleção alemã desde 1995 e faz atendimentos particulares – incluindo Ronaldo, Gerrard e Owen nesta lista. “Healing Hans” também já cuidou astros da música como Bono Vox e Luciano Pavarotti. Seus métodos são considerados pouco convencionais, misturando homeopatia e acupuntura, além de infiltrações de substâncias nem sempre bem vistas por seus pares – em 2011, a ESPN americana fez uma reportagem bem completa sobre a sua atuação.

Às vésperas das Olimpíadas de 2012, atendeu vários atletas de ponta, entre eles Usain Bolt, que enfrentava problemas físicos rumo à competição. “Ele é o melhor doutor do mundo. É um grande homem”, declarou o jamaicano, que conquistou três medalhas de ouro em Londres. O homem mais rápido do mundo também deu suas chuteiras douradas ao alemão, em gratidão. Pelo menos na enfermaria, o Bayern não será mais o melhor do mundo.