A rodada das eliminatórias da Copa Africana de Nações neste final de semana foi pródiga em resultados surpreendentes, mas também em problemas extracampo. O jogo entre Gâmbia e Argélia sofreu um atraso de 90 minutos por conta da superlotação no estádio, que recebeu 40 mil pessoas, mesmo com capacidade para apenas 25 mil. E o aviso não bastou à CAF. Neste domingo, uma pessoa faleceu e 37 ficaram feridas por conta da confusão que aconteceu antes de Madagascar x Senegal. A falta de organização e o excesso de pessoas no local mais uma vez causou o problema, desta vez com sérias consequências.

Segundo informações da rádio francesa RFI, seis horas antes do jogo os torcedores já formavam filas para entrar no Estádio Municipal de Mahamasina, na capital Antananarivo. Contudo, a abertura de um dos portões gerou correria, com pessoas se ferindo em meio à confusão e sendo pisoteadas. Uma das vítimas foi fatal. Apesar do episódio trágico, a partida aconteceu da mesma maneira, com o empate por 2 a 2 prevalecendo no placar. Vale lembrar que o atual presidente da confederação africana, Ahmad Ahmad, é de Madagascar.

Com seu time completo, Senegal teve a vantagem no placar em dois momentos diferentes da partida e a desperdiçou. No primeiro tempo, Pape Moussa Konaté abriu o placar e Paulin Voavy empatou pouco antes do intervalo. Já na segunda etapa, Keita Baldé parecia encaminhar a vitória para os senegaleses, quando o inesperado aconteceu. Em um lance com várias falhas individuais, Kalidou Koulibaly acabou mandando a bola contra as próprias redes. A festa prevaleceu no Estádio Municipal de Mahamasina, com arquibancadas visivelmente abarrotadas.

A seleção de Madagascar ocupa a zona de classificação no Grupo A das Eliminatórias da CAN. Os Barea venceram o Sudão na estreia e somam quatro pontos, igualados a Senegal. O principal concorrente é a Guiné Equatorial, adversária na próxima rodada, marcada para junho. A presença de alguns jogadores no Campeonato Francês é um impulso para o futebol da ilha, que nunca esteve presente na fase final  da Copa Africana.

Agora, resta saber qual será o posicionamento da CAF sobre os recorrentes incidentes com superlotação de estádios nestas eliminatórias da CAN. Os episódios não são inéditos no continente africano, muito pelo contrário, mas chegaram novamente a casos extremos neste final de semana. E a morte ocorrida no Madagascar acaba como uma consequência trágica de algo que já se anuncia faz tempo, sem nunca resultar em medidas contundentes.