A noite de domingo no estádio do Arruda foi de festa. No jogo de ida das quartas de final da Série C, o Santa Cruz esteve junto com a sua massa para vencer o Operário pela margem mínima, 1 a 0, um gol de falta de Vítor. Assim, a Cobra Coral tem uma pequena vantagem para o duelo de volta, no Paraná. Se o time não for derrotado em Ponta Grossa, na próxima semana, estará de volta à Série B.

LEIA TAMBÉM: Há 40 anos, uma façanha: O Guarani foi uma surpresa que gastou a bola para ser campeão em 1978

O Arruda tinha quase 50 mil pessoas para apoiar o Santa no seu principal desafio do ano. Voltar à Série B é mais que uma questão de orgulho e de ter um calendário mais decente até o fim do ano, com mais jogos em casa. É ter mais dinheiro em caixa também com os direitos de TV da Série B, muito superiores aos da Série C. Os jogos a mais também dão uma ajuda em termos de bilheteria, embora esse seja um aspecto que os dirigentes brasileiros ainda aproveitem pouco, de maneira geral. Seja como for, é um salto enorme voltar à segunda divisão nacional.

O gol do Santa Cruz saiu ainda no primeiro tempo. Aos 45 minutos, o lateral direito Vítor cobrou com muita categoria uma falta na entrada da área e saiu para o abraço, em disparada. Foi abraçado por um estádio inteiro, as quase 50 mil pessoas presentes. Se não fisicamente, ao menos no barulho, na festa e na esperança. O Santa, comandado por Roberto Fernandes, não sofreu na defesa. O goleiro Ricardo Ernesto até foi ameaçado algumas poucas vezes no segundo tempo, mas sempre interveio com qualidade.

“Treino bastante esse tipo de cobrança nos treinos. Menos que o pessoal, até porque a perna pesa um pouco mais, mesmo assim eu treino sim. Não foi por acaso. Caprichei bastante e tenho que agradecer o pessoal que confiaram em mim e me deixaram bater”, disse Vítor. “Eu até tinha falado para a minha esposa que meu sonho era fazer um gol de falta. E ele então disse para eu treinar que iria conseguir. Foi a partir daí que passei a trabalhar essas cobranças. Foi o meu primeiro gol de falta na carreira”.

A vitória deixou os 49.476 torcedores que estiveram no estádio no Recife com um sorriso no rosto. “Antes de fazer qualquer análise, não dá para começar a entrevista após um jogo desse sem fazer referência ao torcedor. Por mais que a gente saiba que não seria novidade o comportamento e a presença do torcedor, precisamos fazer referência. Com certeza, o estádio lotado contribuiu e foi um algo a mais desde nossa chegada ao Arrudão”, disse o técnico Roberto Fernandes após o jogo.

O Santa Cruz precisa de um empate no estádio Germano Krüger, em Ponta Grossa, no próximo domingo, às 15h. O Operário precisa de ao menos uma vitória por um gol de diferença para levar a disputa aos pênaltis. Para subir no tempo normal, precisará vencer por dois gols de vantagem.

Bragantino abre vantagem sobre o Náutico

Quem também deu um passo em direção ao retorno à Série B foi o Bragantino. Jogando em casa, no estádio Nabi Abi Chedid, o time paulista venceu por 3 a 1 no sábado e assim poderá até perder por um gol no Recife para garantir o acesso. Vitinho, Marquinhos e Fabiano marcaram os gols do time de Bragança, enquanto Ortigoza descontou para o Náutico.

Para tentar reverter o resultado, o Náutico sabe que precisará do apoio da torcida. Por isso, manteve promoção no preço dos ingressos, vendidos por R$ 20 o mais barato para a Arena Pernambuco. Neste domingo, foi anunciado que mais de 21 mil entradas já foram vendidas. A expectativa é ter mais de 40 mil pessoas no estádio para emburrar o Timbu. O maior público do ano foi na final do Campeonato Pernambucano, com 42.352 pessoas. Há a expectativa que o recorde seja quebrado.

Será preciso mesmo o apoio da torcida, porque o Náutico só se manterá vivo com uma vitória por dois gols de diferença. E, mesmo assim, essa diferença leva para os pênaltis. Para vencer o confronto e subir direto, o Náutico precisará de três gols de diferença. Algo dificílimo, mas ainda possível.

Na Paraíba, Botafogo-PB vence duelo com Botafogo-SP

No duelo entre os dois Botafogos, o paraibano saiu em vantagem contra o paulista. A vitória foi a menor possível, 1 a 0, mas o suficiente para dar alguma vantagem para o jogo de volta, no estádio Santa Cruz, em Ribeirão Preto. E olha que o Belo, apelido dos paraibanos, ainda perdeu um pênalti, com Marcos Aurélio. O autor do gol da vitória foi Juninho.

Os paulistas precisarão de uma vitória por um gol de diferença para levar a disputa para os pênaltis. Dois gols de diferença levam o time à Série B. O próximo jogo será disputado no próximo domingo à noite, às 19h.