Difícil mensurar o quanto a troca repentina de treinadores, às vésperas da estreia da Copa do Mundo, atrapalhou a trajetória da Espanha, que havia chegado à Copa do Mundo como uma das favoritas. A apresentação da equipe, nesta terça-feira, deixa a impressão de que, sem aquela confusão, era possível chegar mais longe. Pela segunda rodada da Liga das Nações, a Espanha goleou a Croácia por 6 a 0, impondo a pior derrota da história da atual vice-campeã mundial.

Claro que a Liga das Nações, em seus primeiros jogos, ainda precisa provar que tem mais caráter competitivo do que amistoso, o que alguns de seus duelos não têm conseguido fazer. E lá pela metade da peleja, a Croácia não pareceu extremamente interessada em diminuir o prejuízo. Mesmo assim, foi uma partida oficial, e os croatas estavam com a maioria dos seus principais atletas – sem Subasic, Lovren, Rebic e Mandzukic.

A Espanha, que já havia derrotado a semifinalista Inglaterra, em Wembley, no último sábado, dominou completamente a partida, com 70% de posse de bola e várias finalizações perigosas. No outro lado, David de Gea precisou realizar apenas uma defesa. O placar foi aberto, aos 23 minutos, com um belo gol: Sergio Ramos virou o jogo com qualidade, Carvajal dominou e cruzou de Trivela para Saúl cabecear às redes.

Foi o único tento que não teve a participação do excelente Marco Asensio. Ele marcou o segundo com uma bomba de fora da área e o terceiro com outro chute de média distância, que bateu no travessão e nas costas do goleiro Kalinic antes de entrar – oficialmente, gol contra. Asensio deu o passe em profundidade para Rodrigo fazer 4 a 0, cobrou o escanteio da cabeçada de Sergio Ramos e acionou Isco dentro da área para o sexto gol.

A pior derrota croata antes dessa havia sido por 5 a 1 para a Inglaterra, em 2009, nas Eliminatórias para a Copa do Mundo da África do Sul. Em casa, a Espanha está invicta em partidas oficiais há 15 anos: a última derrota foi para a Grécia, por 1 a 0, em 2003, nas Eliminatórias da Eurocopa do ano seguinte. Desde então, são 17 vitórias por essa competição, 16 triunfos e quatro empates pelo classificatório do Mundial. Além de duas vitórias na Liga das Nações.

.

.

.