A Bélgica é um dos países que teste o uso do árbitro de vídeo, nesta temporada. A vitória por 3 a 1 do Standard Liège sobre o Kortrijk teve um caso polêmico. Por volta dos 13 minutos do segundo tempo, Sébastian Pocognoli caiu dentro da área, e o árbitro marcou pênalti. No entanto, avisado pelo VAR, checou o replay, anulou a penalidade e expulsou o atacante de 30 anos por simulação.

LEIA MAIS: FAQ: Como funciona o Árbitro de Vídeo (VAR) que será adotado pela CBF?

Pocognoli ficou possesso. As imagens realmente mostram que, tocado ou não, ele parece ter mais tropeçado do que se jogado para cavar um pênalti. Até porque, seu time já vencia por 3 a 1 e ele já tinha um cartão amarelo. Seria pouquíssimo inteligente simular um pênalti nessa situação. O ex-jogador do West Brom saiu de campo reclamando com todo mundo e fazendo o sinal de que não teria se jogado.

“Sébastian me disse que foi tocado, então eu acredito nele”, disse o companheiro de time Paul-José M’Poku. “Estamos em uma fase que obviamente precisa ser revisada e analisada. Não é fácil para o árbitro. O vídeo é uma coisa nova para ele”.

O técnico Sá Pinto também defendeu seu jogador. “A situação com Poco foi bizarra. Não acho que ele simulou e ele não merecia esse amarelo. É uma pena porque poderíamos terminar este jogo em silêncio, mas, mais uma vez, entrou um obstáculo”, disse.

Neste caso, pior que a decisão em si, que pode ser interpretativa, o problema foi o tempo que demorou para a situação ser resolvida. Quase cinco minutos entre a marcação do pênalti e a continuação do jogo.