O presidente da Fifa, o suíço Joseph Blatter, criticou o plano da Uefa para espalhar a Eurocopa por 13 países em 2020. O projeto é do presidente Michel Platini, presidente da Uefa e candidato a presidir a Fifa no futuro. Para Blatter, o Euro sem sede fixa fica sem “coração e alma”.

“O torneio deveria ser disputado em um país, é assim que se constrói identidade e euforia”, afirmou Blatter à revista alemã Kicker. “O torneio de 2020 foi fragmentado. Não é mais um campeonato europeu. Deveria ser chamado de outra coisa, eu não sei o que. Um campeonato europeu como esse fica sem coração e alma”, afirmou Blatter na entrevista.

O suíço, que está no comando da Fifa desde 1998, não descartou concorrer novamente à presidência em 2015, quando acaba o seu atual mandato. “Eu quero fazer a Fifa passar por reformas no nosso congresso em maio, na Mauritânia, então iremos para o Brasil para a Copa do Mundo de 2014 e depois disso tudo está aberto”, afirmou o presidente. “Quando tiver certeza que a Fifa continuará a ser guiada assim, que irá continuar global e que a pirâmide não irá desabar, então eu irei passar o cetro para um novo presidente com alegria”, disse Blatter. “Como você pode descartar algo, se você não sabe exatamente o que o futuro irá trazer”.

O francês Platini é o nome mais falado para substituir Blatter como presidente da Fifa em 2015. Caso Blatter resolva concorrer novamente, a relação entre os dois pode ficar mais áspera nos próximos anos. Platini está na presidência da Uefa desde 2006.