Copa do avesso: apostar em quem termina o Mundial na Rússia na lanterna pode ser bom negócio

Quando analisamos qualquer evento esportivo, os olhos em sua maioria estão voltados para os favoritos ao primeiro lugar. No caso da Copa do Mundo, esta máxima pertence ao Brasil, Espanha, França, Alemanha e Bélgica, que lideram o mercado das apostas para o título segundo o site especializado OddsShark.com. Mas enquanto a fase de mata-mata, que pode nos oferecer novas dicas de quem será o campeão mundial na Rússia não chega, uma outra categoria surge com cotações bem interessantes para as apostas esportivas. Em meio a rodada de final da primeira fase, os investimentos em torno do país que será o lanterna de cada chave conta com lucros interessantes. O Grupo D, por exemplo, conta com três seleções lutando contra a última posição (Argentina, Islândia e Nigéria). Cravar quem deixará o território russo pela porta dos fundos pode ser o caminho para aumentar os rendimentos.

Se você ainda está em dúvida de como uma aposta funciona, dá só uma olhada no nosso infográfico. É só clicar aqui que você entenderá o beabá das cotações.

Equilíbrio

Já que citamos o Grupo D, é ele um dos mais equilibrados do Mundial em termos de odds. Seja para definir a segunda vaga da chave no mata-mata, já que a Croácia, com seis pontos, é a única com presença garantida, ou mesmo para ver quem ficará com a lanterna.

A vice-liderança é ocupada pela Nigéria, que faz confronto direto na última rodada com uma Argentina em crise. Aos africanos, uma vitória (R$ 6,50) é tudo o que eles precisam para seguir adiante no torneio, que rende 275% segundo os dados do site especializado OddsShark.com. Já a eliminação tem taxa de R$ 1,40.

Apesar da boa posição na tabela e de enfrentar um adversário marcado por desavenças entre o técnico Jorge Sampaoli e seus jogadores, os nigerianos ainda levam a condição de azarões. É só olharmos os odds da equipe dirigida pelo alemão Gernot Rohr, que é de R$ 4,00 para ficar na última posição.

A cotação só não é maior que da Islândia, que apesar da terceira posição com um ponto, tem duelo complicadíssimo com a invicta Croácia. Aos islandeses, terminar a primeira Copa do Mundo de sua história na lanterninha significa R$ 1,40 nos investimentos. Isso só não ocorrerá se a equipe que surpreendeu o mundo na Euro 2016 derrubar os líderes do grupo, em cotação que paga R$ 3,50, e que pode até lhe garantir uma inédita vaga às oitavas, que é de R$ 6,50.

Se já não fosse bastante ser goleada pelos croatas e estar à beira da eliminação, a Argentina convive com o real cenário de encerrar sua melancólica participação em último. Isso seria o carimbo de uma Copa do Mundo para ser apagada da memória dos nossos vizinhos. Colocada entre as favoritas ao título nos odds e tendo Lionel Messi para liderar seu esquadrão, a Seleção Albiceleste tem sido só decepção. Após 1×1 com a Islândia na estreia, em jogo marcado pelo pênalti perdido pela estrela do Barcelona, os hermanos foram irreconhecíveis diante da Croácia. O resultado: 3×0 para os europeus e crise escancarada entre os sul-americanos.

Apesar do solitário ponto alcançado até agora no Mundial e de seus odds terem disparado para o tricampeonato – cotação de R$ – em razão dos recentes maus desempenhos, os argentinos seguem sim com chances de classificação. Isso porque precisam golear a Nigéria, em taxa de R$ 1,53, e ainda torcerem para que a Islândia não derrote a Croácia.

Por incrível que pareça, o mais difícil para os nossos vizinhos não será secar os islandeses, mas sim acreditar em um triunfo contra os africanos. Afinal, o futebol apresentado até agora fala por si só.

As barbadas

Por outro lado, há chaves em que a última posição está praticamente definida. Se bem que com o aumento de gols marcados na parte final dos jogos deste Mundial, cravar o lanterna pode ser bem arriscado, não é?! No Grupo E, que tem Brasil (1º com quatro pontos), Suíça (2º com quatro pontos) e Sérvia (3º com quatro pontos) e as duas vagas para as oitavas em aberto, a expectativa é de que a Costa Rica fique com a quarta posição. Zerados após dois jogos, os Ticos precisariam vencer os helvéticos – cotação de R$ 6,50 – e ainda aguardarem uma vitória brasileira – odds de R$ 1,50. Só assim para evitar a péssima colocação, que hoje paga quase nada: R$ 1,01.

Mesma situação vive a Coreia do Sul, no Grupo F, e o Panamá, no Grupo G. Sem pontuarem no torneio, sul-coreanos e panamenhos são avaliados em R$ 1,01 e R$ 1,20, respectivamente, para acabarem na quarta posição. No caso asiático, a colocação parece certa, já que pegam a favoritaça Alemanha. Por outro lado, a seleção da América Central tem último suspiro contra a imprevisível Tunísia.

Confira outros odds do futebol internacional na Trivela.