Não dá para levar a sério tudo o que Eric Cantona diz, mas sempre é interessante ouvir o que ele tem para falar. O veterano possui uma visão muitas vezes diferente do lugar comum e, embora besteiras invariavelmente saiam de sua boca, também conhece o ambiente do futebol como poucos. Nesta semana, em entrevista ao Daily Mail, o antigo ídolo do Manchester United avaliou os atuais rumos do clube. E, sem precisar ser nenhum gênio para isso, questiona a continuidade de José Mourinho – mas partindo de uma comparação com a liberdade individual que os atletas tinham em seu tempo, comandados por Sir Alex Ferguson.

“Bem, jogar no United não é tão bom quanto antes. Mas é cedo na temporada, muito cedo para dizer. O Manchester United é um grande clube e sempre será grande. Eles irão ganhar títulos, eu sei disso. Mas a forma como jogam? Não é boa. O técnico faz com que eles joguem de uma maneira errada para os torcedores. Sem diversão, sem criatividade. Eu gosto de Mourinho. Ele tem uma boa personalidade, mas não para o United”, apontou Cantona.

“Eles deveriam ter contratado Guardiola. Ele deveria estar lá, mas está fazendo mágica com outro clube. O clube que eu não posso nomear. Não posso dizer o nome… É muita dor para eu falar. Ouça, eu brinco sobre o Manchester City, mas eles estão jogando um ótimo futebol. Apenas acho que o Guardiola deveria estar no United. Ele é o filho espiritual de Cruyff no Barcelona e aprendeu tudo com ele. É a única pessoa que deve estar no United”, complementou.

Segundo Cantona, ele mesmo também poderia ser um bom comandante aos Red Devils: “Bom, eu também gostaria de ser o técnico do United. Se eles me ligassem, eu iria. Todos sabem onde estou. Então jogaríamos um futebol criativo novamente. Seria ótimo para os torcedores, como foi com Alex Ferguson – ele permitiu aos jogadores serem criativos, os tratava como individualidades. Todos nós nos sentimos especiais com ele. Todos se sentiram amados. Ele sempre nos elogiava, é um bom homem e um bom líder”

Além disso, o antigo protagonista do Manchester United guarda os seus melhores elogios para Fergie. Quando o treinador sofreu um acidente vascular, em maio, o francês deixou expressa a sua preocupação com o homem que transformou sua carreira: “Sir Alex está melhorando. Parece bom e forte. Desejo que ele fique completamente bem e tenho certeza que ficará. Eu sinto que ele se fortalece a cada dia. Ele é grande. Um grande técnico”.

Questionado sobre os treinadores de seleção, Cantona faz uma análise sobre o mercado escasso: “Os melhores técnicos estão nos melhores clubes, não nas seleções. Essa é a verdade. Na Copa do Mundo, Lopetegui recebeu a oferta do Real Madrid e ele aceitou, embora não pudesse continuar com a Espanha, que era um dos favoritos à Copa. Por que? Porque os melhores clubes são onde os melhores técnicos querem estar. Olhe a Inglaterra. Eu gosto de Southgate, mas o que ele fez como técnico antes? Ele comandava o Middlesbrough. O que ele ganhou? Nada. Por que eles o botaram como técnico da seleção? Porque ele não estava em um grande clube. Eu digo como é, os técnicos de seleção estão lá porque ninguém os quer”.

Por fim, reflete sobre a maneira como a criatividade deveria ser importante não apenas para o futebol inglês: “O momento mais importante da minha carreira não são gols ou vitórias, é o momento em que saí da França para vir à Inglaterra. Nunca tinha viajado ao país antes. A Inglaterra parecia longe, muito diferente do que eu estava acostumado. Quando saí da França, tinha uma pequena explosão em mim, eu estava empolgado. E no Reino Unido existe a tal criatividade. Vocês têm escritores brilhantes, músicos, atores, diretores – conhecidos em todo o mundo. Como a Inglaterra faz isso? É a educação? Deveríamos descobrir por que. É uma herança, a sociedade? Como um país como esse produziu tantas pessoas artísticas?”.