O Paris Saint-Germain entrou em campo para o jogo com o Toulouse com a perspectiva de jogar com o Real Madrid na próxima quarta-feira, pela Champions League. Por isso, o técnico Unai Emery poupou jogadores neste sábado, mas nem foi preciso ter todos jogadores em campo para vencer. Neymar marcou o gol da vitória por 1 a 0, com destaque também para Ángel Di María, que tem mostrado futebol para brigar por um lugar no time.

LEIA TAMBÉM: Chuteiras de Cristiano Ronaldo e Neymar para a Copa 2018 focam em um aspecto: velocidade

A escalação do PSG tinha diversos jogadores reservas, como o volante Lassana Diarra, contratado na janela de janeiro, Giovani Lo Celso, atuando no meio-campo ao lado de Diarra, e Ángel Di María, que ganhou tempo em campo com o revezamento dos atacantes nestes últimos jogos. Edinson Cavani sequer foi relacionado para a partida. Kylian Mbappé jogou pelo centro do ataque.

Neymar foi um dos jogadores mais ativos em campo. Chutou duas bolas na trave. Atuou no seu lugar preferido do campo, o lado esquerdo do ataque. Foi exatamente dali que marcou o gol da vitória do time. O atacante recebeu um lançamento de Ángel Di María, dominou no peito e, já dentro da área, driblou para o meio e depois para a ponta novamente para chutar a gol, contar com desvio e ver a bola morrer no fundo da rede. O gol, aos 24 minutos, acabaria por ser o único do jogo.

A boa atuação de Di María também dá opções para Emery escalar o time de maneiras diferentes. O argentino atua normalmente em uma das pontas, normalmente na direita. É a posição que Mbappé tem atuado no time titular. No centro, Cavani e do lado esquerdo, Neymar. Di María pode ocupar as duas pontas, mas também pode jogar no meio-campo. No seu tempo de Real Madrid, ele atuava em um esquema com o trio BBC à frente, compondo o meio-campo no 4-3-3. Pode ser uma alternativa mais ofensiva para o time, se for necessário. Suas boas atuações recentes podem dar ao técnico do PSG a segurança para escolher o argentino para entrar em campo contra o ex-clube, na Champions League.

O gol levou Neymar a 19 na Ligue 1, se aproximando um pouco mais de Edinson Cavani, seu companheiro e artilheiro do campeonato até aqui com 21 gols. Ao que tudo indica, a disputa por quem cobra os pênaltis pode também decidir quem será o artilheiro. São apenas dois gols de vantagem para o uruguaio, que precisará seguir marcando muitos gols. Se a disputa estiver acirrada assim até o final, será que teremos uma competição interna?

Bom, esta é uma disputa aberta, mas o título certamente não. Com 65 pontos, o PSG já abriu 13 pontos na liderança em relação ao Olympique de Marseille, que tem 52. Resta, então, a briga pelo vice-campeonato, que dá vaga direta à Champions League, e o terceiro lugar, que dá vaga na fase preliminar da Champions League. E, claro, a artilharia. Além dos dois jogadores do PSG, Falcao, do Monaco, está na briga, com 17 gols, seguido por Fekir, do Lyon, com 16. Mariano Díaz, também do Lyon, tem 14, assim como Thauvin, do Marseille. Balotelli, do Nice, tem 13.