O centroavante Pedro, do Fluminense, foi cortado da seleção brasileira, conforme se esperava, e em seu lugar o técnico Tite anunciou um jogador também com ligações com o Fluminense: Richarlison, do Everton, ex-Flu. O jogador, de 21 anos, tem atuado pela ponta esquerda no ataque, e não como um centroavante, como Pedro, mas pode eventualmente jogar por ali em um ataque mais móvel.

LEIA TAMBÉM: O Crystal Palace de 1990/91: Quando as Águias se intrometeram entre as potências do país

Destaque do América Mineiro em 2015, Richarlison foi vendido para o Fluminense em 2016. Em agosto de 2017, foi vendido ao Watford, em uma transação surpreendente. Afinal, Richarlison vinha de atuar na seleção sub-20, em 2016, e era especulado em times mais badalados. Na Inglaterra, sua primeira temporada foi muito boa, especialmente na primeira metade, quando tinha o técnico Marco Silva ao seu lado. Com a demissão do português, seu desempenho também caiu. Com a contratação de Marco Silva pelo Everton, Richarlison foi um pedido especial que o clube de Liverpool atendeu.

Logo no seu início no Everton, dois jogos e três gols marcados, com dois no primeiro jogo e um gol no segundo. Só que o seu terceiro jogo teve uma expulsão, que manchou um pouco um bom início. Mesmo assim, é um talento que claramente tem muito potencial pela habilidade, velocidade e boa finalização. Na seleção, provavelmente terá que atuar em outra posição, já que a ponta esquerda é, em princípio, ocupada por Neymar. Pode atuar em qualquer lado do ataque para trazer ao time alternativas.

“Ficamos muito chateados com a lesão do Pedro. Falei com o Fluminense e com o atleta com o objetivo de tranquilizá-lo, para que ele tenha uma boa recuperação, pois, certamente, continuará a ser observado quando voltar a jogar”, afirmou o coordenador de Seleções, Edu Gaspar.

Além dos três gols marcados nesta temporada, ainda no início, Richarlison marcou cinco gols pelo Watford na temporada passada, além de cinco assistências. Foi um destaque do time que conseguiu escapar do rebaixamento, apesar dos altos e baixos. Ganha uma convocação que é merecida pelo potencial que tem e pelo momento da Seleção, que é adequado para testes.

Aliás, em um momento que os clubes brasileiros estão em jogos decisivos da Copa do Brasil em plena data Fifa – por culpa da própria CBF -, seria muito mais conveniente que Tite já não tivesse convocado ninguém que atua por aqui, ou, ao menos, que não convocasse jogadores envolvidos em partidas da Copa do Brasil. Não foi o que aconteceu, porque Lucas Paquetá, do Flamengo, está convocado, assim como Dedé, do Cruzeiro, e Fagner, do Corinthians. Todos jogadores que podem acabar perdendo um dos jogos – a partida da semifinal da Copa do Brasil está prevista para dia 12, um dia depois do amistoso do Brasil, dia 11.

A Seleção se apresenta neste domingo, dia 2, para se preparar para os amistosos que serão nos Estados Unidos. Os jogos serão contra Estados Unidos e El Salvador, nos dias 7 e 11 de setembro, respectivamente.