Sabe aqueles jogos que usamos como exemplo do imponderável, quando um time é superior ao outro, perde uma tonelada de chances e leva 1 a 0 com um gol fortuito? A derrota do Corinthians para o Millonarios, nesta quinta-feira, foi mais ou menos assim. Os paulistas, na estreia de Osmar Loss, substituto de Fábio Carille, teve muitas oportunidades e poderia ter ganhado por um placar amplo. Mas Carrillo mandou uma bomba da entrada da área, garantindo os três pontos para os colombianos. 

LEIA MAIS: O desafio do Corinthians na saída de Carille é, sobretudo, a manutenção da filosofia

O resultado adverso tem poucos efeitos práticos. O Independiente ganhou do Deportivo Lara, por 2 a 0, e igualou os 10 pontos do Corinthians, mas não superou o saldo de gols dos paulistas. O rendimento, porém, foi bom. Como em tantas vezes em que este time criou pouco e saiu com a vitória, desta vez aconteceu o contrário. 

O Millonarios pouco ameaçou Walter, titular no lugar de Cássio, que já se apresentou à seleção brasileira. Del Valle mandou de longe, com perigo, e Rivas teve uma cabeçada que foi às mãos do goleiro. Isso antes dos dez minutos. Depois, foi um diálogo entre o ataque corintiano e o goleiro venezuelano Wuilker Faríñez, de apenas 20 anos. Maycon bateu cruzado, para fora. Aos 20 minutos, Pedrinho achou Rodriguinho, que passou pelo zagueiro e ficou cara a cara com Faríñez, que executou boa defesa. 

O Corinthians teve mais volume de jogo na etapa final. Sidcley e Romero levaram perigo. A grande chance veio aos 17, quando o lateral passou para Rodriguinho dentro da área. Faríñez, novamente, fez uma intervenção providencial. O rebote ficou com Romero, e Palacios conseguiu o corte em cima da linha. Em trabalho de pivô, o paraguaio rolou para Maycon encher o pé. Faríñez espalmou, e o próprio Romero, em novo rebote, mandou para fora. 

Aos 28 minutos do segundo tempo, Balbuena cortou um passe na entrada da área e a bola subiu. Carrillo emendou da entrada da área e acertou o ângulo de Walter. Sem chance de defesa. Atrás no placar, o Corinthians continuou martelando. Romero cabeceou para defesa do goleiro, e Balbuena testou para fora. 

A pressão foi infrutífera, mas o Corinthians jogou bem. Bom sinal para o começo de trabalho de Loss, com a responsabilidade de repor um treinador que conquistou três títulos em um ano e meio.