Cristiano Ronaldo foi apresentado à sua casa nova. Aos 33 anos, chega por € 117 milhões à Juventus para tentar o sucesso na sua quarta liga diferente na carreira. Depois de começar no Sporting, em Portugal, brilhou pelo Manchester United, na Inglaterra, e pelo Real Madrid, na Espanha. Chega à Itália com um contrato de quatro anos e com o desafio de ser o craque que tem sido nos últimos 10 anos, quando rivalizou com Lionel Messi como os melhores jogadores do planeta. Na sua entrevista de apresentação ao atual heptacampeão italiano, Cristiano Ronaldo falou sobre a decisão de ir para a Juventus, rivalidade com outros jogadores, Bola de Ouro e os desafios de jogar em uma nova liga, mais tática e física.

LEIA TAMBÉM: Trivela, 20 anos: quem disse que não íamos voltar para o papel? Chegou a Trivela Copa ’18

Decisão de ir para a Juventus

“Foi fácil. Foi uma decisão fácil vendo o poderia que tem a Juventus. Como disse muitas das vezes, para mim é uma das melhores equipes do mundo. Foi uma decisão que já vem ao longo do tempo. Sempre disse a companheiros próximos que era um clube que eu também gostaria de ter jogado já algum tempo atrás, desde quando era criança. Foi uma decisão fácil em termos de dimensão que tem o clube. E obviamente foi um passo importante na minha carreira, primeiro clube italiano, um clube que está habituado a ganhar, tem grandes jogadores, um grande treinador, um grande presidente, e foi uma decisão fácil”.

Rivalidades com outros jogadores

“Eu não tenho rivalidades com outros jogadores. Nunca tive. Isso não é minha ética de vida. Obviamente que aquilo que vamos fazer é tentar bater todas as equipes que jogamos. A Juventus em todos os jogos vai tentar ganhar os jogos, esse é o nosso grande objetivo, tentar ser o mais regular possível durante a liga. Foi um desafio bonito. Se queres entrar por aí, como foi com Messi, acho que todos vocês gostam e foi interessante, mas não vejo como uma rivalidade, cada um defende suas cores. Como aqui, os jogadores do Napoli, Milão e outras equipes irão defender suas cores, eu irei defender as minhas e por issono final das contas veremos quem são os melhores”.

“Não vim de férias”

“O que eu quero é triunfar na Juventus. Não vim para Turim para passar férias. Por isso, o que eu quero é brilhar, deixar a minha marca aqui, independentemente de vocês referirem tantas vezes à idade, vou tentar vos surpreender uma vez mais e por isso vou estar preparado. Tenha certeza que as coisas vão correr bem”.

Bola de Ouro

“A Bola de Ouro já não é uma obsessão. Pensei sempre em ganhar uma Bola de Ouro mas nunca pensei ganhar duas ou três, quanto mais cinco. A minha ambição é sempre ganhar e ser o melhor. Nunca se sabe [se não é possível]: se as coisas correrem bem aqui na Juventus, por que não? Era difícil ganhar no Manchester United e no Real Madrid: por que não aqui?”.

Cristiano Ronaldo com a camisa da Juventus (Photo by Valerio Pennicino – Juventus FC/Juventus FC via Getty Images)

“Sou diferente de todos os outros”

“Obrigado pelo presidente e por toda instituição por apostar em mim. É uma forma de eles verem também que a idade não é o mais importante, não é o mais importante. Se estiver bem, emocionalmente, fisicamente, acho que isso não é um fator, como não foi. Por isso, a transferência em si, os números que se falam me deixam de certa forma orgulhoso. Um jogador já veterano, como dizem, estar neste patamar é uma motivação. Se ninguém consegue chegar a este patamar, eu consigo. Sou diferente de todos os outros”, afirmou Ronaldo.

“Com todo respeito, com 32, 33 anos, 34, alguns jogadores estão acabados e eu não. Isso de certa forma me deixa feliz e mostra que sou diferente de todos os outros. E para terminar, acho que é um momento de emoção, me sinto muito contente, honrado por este clube apostar em mim, independente de eu ter 23 anos, opa, quer dizer, 33 anos”, brincou o atacante.

Champions League

“Bom, eu sei que a Liga dos Campeões é o troféu que todas as equipes querem ganhar. Como diz o meu presidente, não é uma opção, mas sim uma das prioridades que o clube vai querer ter. Mas não que tudo que seja uma opção é mau, vamos lutar por todos os troféus, obviamente, a liga italiana, Copa e a Champions também e ver o que a competição nos traz. Acho que temos que estar tranquilos, fazer o nosso bem, estarmos concentrados. A Champions é uma competição muito difícil ganhar. Espero que possa ajudar. A Juve esteve muito perto, me recordo brevemente que chegou a duas finais, não ganhou porque as finais são sempre uma incógnita. Por isso, espero trazer sorte a esta equipe, mas é como digo, não é uma opção, é deixar as coisas fluírem de maneira natural e ver o que a competição nos dará”.

Liga italiana

“Como disse antes, eu gosto de desafios. Eu sei que é uma liga difícil, muito tática, mas eu gosto de provar outras coisas, experimentar outras coisas. Por isso, sei que vai ser difícil, mas na minha carreira nunca foi fácil, nunca consegui nada sentado em uma cadeira em casa ou debaixo de uma bananeira, isso nunca aconteceu. Por isso, vou trabalhar para que as coisas possam correr bem, ter um pouco de sorte na minha adaptação. Mas confiante, acima de tudo confiante no meu futebol, nos meus companheiros da Juventus, tenho certeza que as coisas irão correr bem, vamos estar preparados, eu vou estar preparado. Irei dar o meu melhor e, por isso, estou tranquilo, sei que é um desafio difícil, mas estarei preparado”.

Não ao Catar e à China

“Venho como disse anteriormente para um desafio grande, venho para um clube grande. Há jogadores com a minha idade que vão para países, com todo respeito, Catar, China, e é um pouco finalizar a carreira e eu não. Venho quase rejuvenescer para um clube grande assim. Estou feliz, por isso agradecido à Juventus por ter me dado essa oportunidade de continuar a minha brilhante carreira. Em termos de seleção, sempre darei o melhor ao meu país, nunca virarei as costas ao meu país. Se eu tiver possibilidade e força para poder ajudar aquela camisa portuguesa, irei fazê-lo. Por isso, uma etapa bonita aqui, vou continuar a ter uma etapa bonita aqui na Juventus e também na seleção nacional”.

Carreira de sonho

“Sou uma pessoa que gosta de pensar no presente. O presente é espetacular, desfruto de jogar futebol. A minha etapa no futebol começou desde muito jovem, sempre gostei de desafios, foi o que aconteceu nas minhas categorias de base, Nacional, Sporting, depois o Manchester United, Real Madrid e agora a Juventus. Por isso tem sido uma carreira de sonho, uma carreira que eu nunca esperava ter feito, a nível coletivo e individual, aquilo que eu ganhei. Por isso, é mais um desafio, estou preparado, estou muito preparado, e seguramente as coisas vão correr bem, como correram nos outros clubes. Por isso, estou bem, tranquilo e confiante que as coisas vão correr bem”.