A Rússia foi uma boa surpresa na Copa do Mundo, chegando mais longe do que o esperado e eliminando uma seleção campeã mundial, como a Espanha. Um dos grandes destaques do time foi o meio-campista Aleksandr Golovin, 22 anos, que era do CSKA Moscou. Desde antes da Copa, ele já era especulado no Chelsea, clube que tem um russo como dono. Nesta sexta-feira, 27, ele foi confirmado no Monaco, outro clube que tem um russo como dono. Segundo o jornal francês L’Equipe, o time do principado pagou € 30 milhões pelo jogador.

LEIA MAIS: Golovin saiu do futsal siberiano para encher de categoria a abertura da Copa do Mundo

Nascido em Kaltan, na Sibéria, o jogador estreou no futebol profissional aos 18 anos, em 2015. Fez três temporadas pelo CSKA Moscou, com 113 jogos, conquistando a liga nacional russa em 2016. É uma das maiores revelações do futebol russo nos últimos anos e era de quem mais se esperava. E ele entregou. Na boa campanha russa, Golovin foi um dos principais jogadores do time organizado e disciplinado comandado pelo técnico Stanislav Cherchesov.

O Chelsea, do dono Roman Abramovich, tinha Golovin como alvo. O novo técnico da equipe, Maurizio Sarri, queria dar mais qualidade ao meio-campo. Na última semana, Sergey Chepchugov, companheiro de Golovin no CSKA, indicou que o meia poderia ir para o Chelsea. É difícil saber se Sarri não quis o jogador ou se a proposta do Chelsea não foi boa o suficiente. O que sabemos é que o Monaco, do dono Dmitry Rybolovlev e do vice-presidente Vadim Vasilyev, este sim mais atuante. Foi ele quem confirmou o acordo, ainda na quinta, 26.

“Monaco e CSKA nesta tarde finalmente fizeram um acordo na transferência de Golovin. Eles foram realmente complicados. Honestamente, até o último momento eu não tinha certeza que seria capaz de coordenar essa transferência”, afirmou o dirigente, ainda na quinta, ao jornal Sport Express, da Rússia. “Nosso principal competidor era o Chelsea. Eu acredito que o Monaco ofereceu condições mais favoráveis para o clube e um projeto mais compreensível para Golovin”.

Aleksandr Golovin, do Monaco (Foto: AS Monaco/divulgação)

Já nesta sexta-feira, o vice-presidente deu as boas-vindas ao novo jogador do Monaco. “Estamos muito felizes com a chegada de Aleksandr Golovin no AS Monaco. Ele é um talentoso jovem jogador, com muito destaque durante a Copa do Mundo, mas nós o seguimos há muito tempo, ele já tem sólida experiência na primeira divisão russa e internacionalmente. Apesar da concorrência de grandes clubes europeus, Aleksandr escolheu o projeto esportivo do AS Monaco, que lhe oferecerá as melhores condições para continuar sua evolução”, afirmou Vasilyev. Já Golovin foi econômico nas palavras. “Estou muito feliz de assinar pelo AS Monaco. É uma nova aventura para mim, chego com muitas ambições. Estou muito ansioso para conhecer a equipe e meus novos companheiros”, disse o jogador.

A contratação de Golovin faz muito sentido para o Monaco. É um clube que tem apostado em jogadores jovens para formar seus times, lucrando com suas vendas tempos depois. João Moutinho foi liberado para o Wolverhampton, com 31 anos. Chega Golovin, mais jovem, mas também muito capaz. No elenco atual monegasco, o time mistura experiência com jovens. O capitão do time é o colombiano Radamel Falcão García, 32 anos.

A missão do Monaco é difícil. Concorrer com o riquíssimo Paris Saint-Germain no âmbito local, a Ligue 1, enquanto tem que tentar fazer algum barulho na Champions League, como conseguiu ao chegar à semifinal em 2016/17, eliminado o badalado Manchester City pelo caminho. Golovin certamente dá uma boa opção ao time do principado.