O anime Super Campeões possui uma legião de fãs pelo Brasil, mas é impressionante como costuma ser reverenciado em determinados países, especialmente a Espanha. Vários jogadores de alto nível já declararam sua adoração por ‘Oliver y Benji’, como é conhecido o desenho animado por lá. Fernando Torres está entre os fanáticos. Em 2012, o centroavante afirmou que, de tão viciado no anime quando criança, tentava imitar os lances mágicos com seu irmão. “Por jogar no ataque, eu queria ser como Oliver”, apontou na época. Apesar de tantos títulos, El Niño não se equiparou ao talento de Tsubasa. Mas em partes realizou o sonho, ao ser transformado em personagem da série, graças a um desenho presenteado por seu criador, Yoichi Takahashi.

O presente de Takahashi, transformado em quadro, chega como um desejo de boas vindas a Torres, recém-contratado pelo Sagan Tosu. Nesta semana, em entrevista ao site Goal, o atacante havia falado sobre a maneira como o anime influenciou seus primeiros passos no futebol. “Eu comecei a gostar de futebol por causa de ‘Oliver y Benji’. Tinha cinco, seis, sete anos. Eu ainda não jogava quando começaram a passar o anime na televisão. Recordo que ficava vidrado vendo o desenho, de verdade. Em uma das visitas do presidente do Sagan Tosu a Madrid, ele me trouxe um quado em que eu era um dos personagens. Eles sabiam que eu gostava. Na Espanha, sempre se teve Oliver y Benji como referência futebolística do Japão”, declarou.

Aliás, Fernando Torres não foi o único fã do anime a ganhar uma lembrança dessas em 2018. Quando foi apresentado pelo Vissel Kobe, antes de disputar a Copa do Mundo, Andrés Iniesta recebeu duas imagens – uma dele com a camisa do novo clube e outra como jogador do Barcelona. O meio-campista também adorava o desenho animado em sua infância. A dupla é parte de uma geração que admirou os lances exuberantes de Tsubasa e presenteou a torcida espanhola com tantos outros, de verdade.