Se havia dúvidas quanto à validade de um amistoso contra El Salvador, como o segundo jogo de um novo ciclo de Copa do Mundo, todas elas desapareceram antes do relógio chegar a três minutos: realmente não tinha validade nenhuma. Os centro-americanos não ofereceram resistência à seleção brasileira, que construiu tranquilamente a goleada por 5 a 0. Do pouco que podemos retirar da partida em Washington, o atacante Richarlison fez o que deveria fazer.

O atacante de 21 ano, que trocou o Watford pelo Everton na última janela de transferências e se destacou nas duas primeiras rodadas da Premier League, foi quem sofreu o pênalti convertido por Neymar, aos três minutos, que abriu o placar da partida. Uma falta bem discutível que rapidamente eliminou a pouca surpresa que ainda poderia pairar em cima do resultado do jogo.

A postura de Richarlison, fazendo sua estreia como titular no time nacional, foi de pura seriedade. Recebeu o passe de Neymar, aos 15 minutos, e mandou direto para o gol, com um belo chute colocado. E, no começo do segundo tempo, depois de Neymar fazer uma graça com um passe errado girando o corpo, e Coutinho, com o rebote, tentar driblar toda a defesa de El Salvador, o ex-Fluminense pegou a sobra com firmeza para fazer o 4 a 0.

Entre os tentos de Richarlison, Coutinho marcou o terceiro gol brasileiro, Neymar acertou a trave e perdeu uma chance clara ao demorar muito para chutar. Driblou o goleiro adversário e permitiu que a defesa cortasse a finalização. O zagueiro Dedé, do Cruzeiro, que disputa a semifinal da Copa do Brasil nesta quarta-feira, saiu no intervalo para a entrada de Felipe. Lucas Paquetá, do Flamengo, outro envolvido nessa fase, foi introduzido aos 8 minutos da etapa final.

Everton, do Grêmio, fez sua jogada característica e quase marcou mais um para o Brasil. Paquetá também teve a sua oportunidade. Aproveitando a fragilidade rival, todo mundo queria deixar o seu nome no placar. O quinto gol acabou surgindo com Marquinhos, de cabeça, em cobrança de escanteio de Neymar.

Com exceção da postura e das finalizações precisas de Richarlison, a partida serviu para poucas conclusões, e, como símbolo disso, vamos encerrar com o goleiro Neto. Estreando pela seleção, ele foi fazer o que chegou mais perto de uma defesa apenas aos 40 minutos, agarrando uma falta cobrada da lateral por Dustin Correa. Como avaliar se ele foi bem ou mal?

.