A ansiedade na torcida do São Paulo era evidente. Depois da derrota do time misto do Flamengo contra um Grêmio também bastante modificado, os tricolores só dependiam de si para assumir a liderança do Campeonato Brasileiro em definitivo. E não parecia tão difícil. O time de Diego Aguirre precisava vencer o Vasco no Morumbi, diante de 53 mil empurrando, para concretizar a primeira colocação. Rojas não demorou a abrir o placar, mas o empate vascaíno deu emoção ao duelo. Então, Tréllez saiu do banco para assegurar os três pontos, com o triunfo por 2 a 1. Resultado que deixa os são-paulinos no topo da Série A, como não aconteceu durante um longo tempo. Desde 2015 o clube não era líder ao término de uma rodada, e desde 2009 não era em uma rodada tão avançada da competição, da 17ª para frente.

Neste domingo, a esperança do torcedor ganhou um sinal positivo logo cedo no Morumbi. Militão cruzou e, a partir de um erro da defesa do Vasco, Rojas abriu o placar para o São Paulo. Sidão fez boa defesa logo depois e o Vasco tinha mais posse de bola, mas os tricolores levavam poucos sustos atrás e tentavam responder com velocidade no ataque. Já durante o segundo tempo, o belíssimo lançamento de Giovanni Augusto para Yago Pikachu balançar as redes mudava a situação. Os paulistas precisavam buscar o resultado, embora os cariocas arriscassem mais. Assim, a solução veio do banco, a partir da entrada de Tréllez e Carneiro aos 31 minutos. Logo depois, o cruzamento de Everton sairia na medida para o colombiano, que anotou um gol emblemático aos são-paulinos: o gol que garantiu o primeiro lugar.

Já haviam se passado 123 rodadas desde a última vez que o São Paulo fechara uma rodada sem poder ser ultrapassado na primeira colocação do Brasileirão. A última vez que isso tinha acontecido foi em 2015. Pela sétima rodada, o volante Souza marcou o gol que deu a vitória por 1 a 0 sobre a Chapecoense. Treinado por Juan Carlos Osorio, aquele time tricolor ainda contava com Rogério Ceni no gol. No entanto, o empate contra o Avaí na rodada seguinte logo tirou a equipe da ponta e o máximo que os são-paulinos disputaram naquele ano foi a vaga na Libertadores. Uma liderança tão avançada como esta na Série A, já na 17ª rodada, é algo que o clube não desfruta desde 2009.

De 2010 a 2014, o São Paulo terminou seis rodadas na liderança, quatro em 2011 e duas em 2013. Entretanto, estes breves períodos no topo aconteceram também no início da campanha, sempre antes da sexta rodada, sem indicar a consistência dos tricolores na briga pela taça. Já em 2009, o topo ficou com os são-paulinos da 34ª à 36ª rodada, antes de serem ultrapassados pelo campeão Flamengo. Havia o sonho do tetra, após a fase soberana do tricampeonato entre 2006 e 2008.

Obviamente, há muita água para rolar no Brasileirão. As condições do São Paulo serão testadas a cada semana. Entretanto, o nível competitivo da equipe até o momento excede as expectativas criadas no início da campanha. E com o diferencial de que, a não ser que reverta a derrota no jogo de ida para o Colón na Copa Sul-Americana, a Série A será o objetivo único dos são-paulinos nos próximos meses, enquanto Flamengo e Grêmio se desdobram ao menos por enquanto com Copa do Brasil e Libertadores, duas frentes bastante exigentes. Nas duas próximas semanas, a visita ao Sport e o encontro com a Chapecoense no Morumbi serão boas ocasiões para os tricolores reafirmarem suas ambições e terminarem o primeiro turno na primeira posição. De qualquer maneira, a noite deste domingo já será de comemoração à torcida são-paulina.