A Fifa rejeitou nesta sexta o apelo feito pela Turquia sobre a punição imposta pela entidade. A seleção turca foi condenada a jogar seis partidas com portões fechados e em locais no mínimo 500 quilômetros distantes das fronteiras do país. Além disso, jogadores e membros da comissão técnica foram suspensos por conta dos incidentes na partida contra a Suíça, pela repescagem das eliminatórias européias.

“A comissão de apelo da Fifa decidiu manter todas as decisões tomadas pela comissão de disciplina da entidade nos dias 6 e 7 de fevereiro, contra as quais a Turquia recorreu”, afirmou a Fifa por meio de um comunicado oficial.

A Turquia venceu o jogo, disputado em 16 de novembro, por 4 a 2 mas ficou fora da Copa (os suíços haviam ganho o confronto de ida por 2 a 0). Logo após o árbitro encerrar a partida, tanto jogadores como membros da comissão técnica e policiais agrediram os rivais.

Além das punições, a federação turca deverá pagar uma multa de chr(128) 129 mil pelo incidente. Alpay Ozalan, Emre Belozoglu e Serkan Balci foram suspensos (os dois primeiros por seis jogos oficiais pela seleção e o último, por dois). Mehmet Ozdilek, assistente-técnico, está suspenso por um ano.

“Estou chocado por esta decisão. Procuraremos o tribunal arbitral do esporte. Respeitaremos a decisão do órgão, mas não esta de hoje”, reclamou Kemal Kapulluoglu, vice-presidente da federação turca.