Leonardo Bonucci chegou ao Milan com um moral absurdo, e não havia como ser diferente. A contratação do zagueiro, ídolo da Juventus, parecia ser o grande passo para que os rossoneri voltassem a contar com um time competitivo. O novo líder do grupo já ganhou a braçadeira e se tornou a principal referência no elenco de Gennaro Gattuso, o que não significa que tenha jogado bem. E em meio às incertezas que os milanistas vivem neste início de temporada, o veterano parece disposto a deixar o clube. Nos últimos dias, surgiram rumores sobre uma possível negociação com o Paris Saint-Germain, um interesse de José Mourinho para o Manchester United ou mesmo a volta à Juventus. Questionado sobre o assunto, o treinador reforça ainda mais a nebulosidade.

Para Gattuso, a permanência de Bonucci ainda depende do relacionamento com a nova diretoria do Milan, que está se formando após a chegada de novos donos do clube, depois que o empresário chinês Li Yonghong não cumpriu os seus deveres financeiros à frente de rossoneri. De qualquer maneira, o técnico indica que será preciso convencer o zagueiro sobre a sua continuidade em Milanello.

“Seu futuro? Eu não sei. Falei com Leo e você precisa ser honesto, dizer as coisas como são. Leo teve uma reunião comigo, mas não sou o clube e ele precisa conversar com os diretores. Até que ele deixe meu vestiário, quero ver o Bonucci que observei ao longo dos últimos 12 dias – um profissional, que é o primeiro a empurrar o grupo e está sempre se portando como um grande capitão”, apontou Gattuso, em coletiva de imprensa.

“Caberá a Leo e ao clube decidirem, espero que Bonucci possa ficar aqui. É um jogador com mentalidade vencedora e talento. Acho que quando um jogador expressa um desejo, o técnico precisa fazer de tudo o que puder para convencê-lo a ficar. Precisamos pensar sobre os prós e os contras. Se o jogador perguntar explicitamente, precisamos atacar o assunto”, complementou o treinador.

Segundo a imprensa italiana, apesar dos conflitos entre Massimiliano Allegri e Bonucci envolvendo a final da Liga dos Campeões de 2016/17, as duas partes estariam interessadas em passar uma borracha sobre o assunto. Além disso, seu retorno à Juve poderia envolver uma troca com Gonzalo Higuaín, que começou a ser discutida entre dirigentes dos clubes. Sem dúvidas, seria um grande acréscimos à Velha Senhora, por aquilo que o defensor já viveu em Turim. Resta saber como será a reação dos torcedores juventinos, que se sentiram traídos com a escolha do ídolo na temporada passada e o vaiaram no retorno ao estádio.