Porto e Sporting querem voltar a ser protagonistas do futebol português. Os dragões para evitar o que aconteceu na temporada passada, quando viram o Benfica ser campeão quase sem dificuldades. E os leões para voltar a erguer o troféu após 14 anos. Nos respectivos bancos de reservas, Julen Lopetegui e Jorge Jesus prometem boas manchetes. As duas equipes são o destaque desta segunda parte do guia do Campeonato Português 2015/16, que também traz os promovidos Tondela e União da Madeira, além dos detalhes sobre Nacional, Paços de Ferreira, Rio Ave, Vitória de Guimarães e Vitória de Setúbal.

NACIONAL

Técnico: Manuel Machado
Temporada passada: 7º lugar
Destaque: Salvador Agra (A)
Copas europeias: nenhuma
Fique de olho: Nenê Bonilha (M)
Objetivo: competições europeias
Principais chegadas: Salvador Agra (A, Braga), Zezinho (M, Atlético Goianiense), Mauro Cerqueira (D, Moura), Nenê Bonilha (M, Rio Claro), Nailson (D, Mogi Mirim)
Principais saídas: Marco Matias (A, Sheffield Wednesday-ING), Marçal (D, Benfica), Wagner (A, Tondela), Lucas João (A, Sheffield Wednesday-ING), Freire (D, Apollon Limassol-Chipre)

O técnico Manuel Machado está iniciando sua sétima temporada – sendo a quarta consecutiva – no comando do Nacional. Ou seja, experiência e conhecimento do clube ele tem de sobra. Sempre dono de campanhas que fazem a equipe ficar na metade de cima da tabela, o treinador tem a missão de recolocar os alvinegros no cenário europeu, conquistando a vaga para a Liga Europa, algo que passou muito perto na temporada passada. O maior problema é a lista de jogadores importantes que deixaram o clube, liderada pelo artilheiro Marco Matias, quarto maior goleador do último Campeonato Português. Para tentar compensar as ausências, a diretoria do Nacional resolveu despejar parte de seus euros no Brasil e contratou muitos jogadores. Entre eles, a eterna promessa corintiana Nenê Bonilha, meia que atuou pelo Rio Claro no início do ano. Um reforço importante foi o atacante Salvador Agra, que jogou pelo Braga em 2014/15. No quesito experiência dentro de campo, Manoel Machado conta com o lateral-direito João Aurélio, capitão que está há oito anos no clube.

PAÇOS DE FERREIRA

Técnico: Jorge Simão
Temporada passada: 8º lugar
Destaque: Pelé (M)
Copas europeias: nenhuma
Fique de olho: Bruno Moreira (A)
Objetivo: competições europeias
Principais chegadas: Marafona (G, Moreirense), Miguel Vieira (D, Aves), Christian (M, Nacional), Marco Baixinho (D, Mafra), Lorran (M, Anápolis),
Pelé (M, Belenenses)
Principais saídas: Sérgio Oliveira (M, Porto), Seri (M, Nice), Nelson Pedroso (D, Aves), Jailson (D, Arouca), Rodrigo Gaslo (D, AEK Atenas-GRE), Hurtado (A, Reading)

Se você ouvir alguém dizer que um meio-campista chamado Pelé é o principal jogador do Paços de Ferreira, pode acreditar. Judilson Mamadu Tuncara Gomes, de 23 anos, tem o apelido do Rei do Futebol e chegou ao clube com o status de maior contratação para esta temporada. De dupla nacionalidade (português e guineense), ele já foi uma grande promessa, mas estava em baixa até fazer bom campeonato passado pelo Belenenses. Foi, então, adquirido pelo Benfica, que o emprestou ao Paços. Na nova equipe, Pelé reencontra o jovem técnico Jorge Simão, de 39 anos, que o dirigiu no Belenenses na reta final da competição passada. Agora, ele ganha a primeira chance de comandar uma equipe desde o início do campeonato na divisão de elite. A tendência é de fazer boa campanha e brigar por uma vaga na Liga Europa. Isso se Pelé, mesmo genérico, fizer o que promete.

PORTO

Técnico: Julen Lopetegui
Temporada passada: vice-campeão
Destaque: Casillas (G)
Copas europeias: Liga dos Campeões (fase de grupos)
Fique de olho: Maxi Pereira (D)
Objetivo: título
Principais chegadas: Imbula (M, Olympique Marselha), Danilo Pereira (M, Marítimo), André André (M, Vitória de Guimarães), Pablo Osvaldo (A, Southampton), Casillas (G, Real Madrid), Alberto Bueno (M, Rayo Vallecano), Maxi Pereira (D, Benfica)Cissokho (D, Aston Villa)
Principais saídas: Jackson Martínez (A, Atlético de Madrid), Danilo (D, Real Madrid), Alex Sandro (D, Juventus), Ricardo Quaresma (A, Besiktas), Casemiro (M, Real Madrid), Óliver Torres (M, Atlético de Madrid)

A ausência do protagonismo, que tanto chateou o torcedor do Porto na temporada passada, parece ter terminado antes mesmo de a bola voltar a rolar. Pelo menos nos bastidores, o clube tomou a dianteira e mostrou-se disposto a investir para tentar recuperar o título nacional. Tanto que fez a contratação mais comentada do mercado em Portugal, ao acertar com o goleiro Casillas, ex-Real Madrid. O impacto do negócio foi tão grande que até ofuscou em parte a chegada do lateral Maxi Pereira, em outra transação improvável – ele deixou o Benfica para jogar no rival. Por outro lado, o Porto perdeu Jackson Martínez, artilheiro do último campeonato e um dos principais nomes do elenco nos últimos três anos. No quesito cofre cheio, a temporada de vendas foi boa, com as negociações também de Danilo, Casemiro, Quaresma e Alex Sandro. Somadas, elas ultrapassaram os 100 milhões de euros arrecadados em vendas pelo Porto numa janela de transferências, algo inédito na história do clube. Quem ficou foi o esquentado técnico espanhol Julen Lopetegui, que inicia sua segunda temporada no cargo e terá de mostrar bem mais do que em 2014/15.

RIO AVE

Técnico: Pedro Martins
Temporada passada: 10º lugar
Destaque: Heldon (A)
Copas europeias: nenhuma
Fique de olho: Hassan (A)
Objetivo: competições europeias
Principais chegadas: José Postiga (A, Sporting), Pedrinho (D, Lorient), Yazalde (A, Braga), Kayembe (A, Arouca), Heldon (A, Cordoba), Aníbal (D, Braga)
Principais saídas: Ederson (G, Benfica), Diego Lopes (A, Kayserispor-TUR), Tiago Pinto (D, Osmanlispor-TUR), Emmanuel Boateng (A, Moreirense)

Iniciando sua segunda temporada no comando do Rio Ave, o técnico Pedro Martins afirmou que o objetivo do time é ficar entre os oito primeiros colocados no Portuguesão. O problema é que a equipe entra na competição cercada de dúvidas sobre seu real potencial, já que sofreu com a saída de praticamente metade do time titular. Em termos de contratação, a melhor notícia foi a chegada do atacante Heldon, emprestado pelo Sporting e que jogou a temporada passada no futebol espanhol. A torcida também comemora a permanência do egípcio Hassan, que chegou a ser sondado pelo Benfica. Ele foi o artilheiro do time em 2014/15, com 12 gols, e deve ficar pelo menos até a metade do campeonato (há possibilidade de ser negociado na janela do final do ano). Com bom retrospecto recente na Taça da Liga e na Taça de Portugal, o clube também não descarta valorizar as competições de mata-mata, que podem significar um troféu na galeria.

SPORTING

Técnico: Jorge Jesus
Temporada passada: 3º lugar
Destaque: Slimani
Copas europeias: Liga dos Campeões (playoffs)
Fique de olho: Téo Gutierrez
Objetivo: título
Principais chegadas: Bruno Paulista (D, Bahia), Téo Gutierrez (A, River Plate), Naldo (D, Getafe), Bryan Ruiz (A, Fulham), Aquilani (M, Fiorentina), João Pereira (D, Hannover)
Principais saídas: Cédric Soares (D, Southampton), Naby Sarr (D, Charlton), Diego Capel (A, Genova), Nani (A, Fenerbahce)

“A partir de hoje não há só dois candidatos, há três”. A frase do técnico Jorge Jesus, no dia de sua apresentação, dá o tom do que quer o Sporting para esta temporada: o título nacional, algo que não conquista há 13 anos. A chegada do treinador, que saiu do rival e vizinho Benfica após seis temporadas, provocando uma bomba no noticiário, foi o maior triunfo dos leões na montagem da equipe. Jesus é o atual bicampeão nacional e conhece bem o caminho das pedras até o troféu – além de ser um exímio provocador dos adversários, algo que deve agradar bastante ao polêmico presidente Bruno de Carvalho. E o técnico não chegou sozinho. Nomes importantes, como os atacantes Téo Gutierrez e Bryan Ruiz, se somaram ao elenco, que perdeu poucas peças (as saídas mais sentidas foram as de Cédric Soares e Nani). O prenúncio da temporada sportinguista foi muito bom, com o título da Supertaça conquistado em cima do próprio Benfica. Ao que parece, Jesus está certo em sua afirmação de que não serão apenas Benfica e Porto que brigarão pelo título. O Sporting já se coloca de vez nesta disputa. Resta saber se o ambiente interno, por vezes tão conturbado, não atrapalhará o desempenho dentro de campo.

TONDELA

Técnico: Vítor Paneira
Temporada passada: campeão da segunda divisão
Destaque: Jhon Murillo (A)
Copas europeias: nenhuma
Fique de olho: Matt Jones (G)
Objetivo: escapar do rebaixamento
Principais chegadas: Luís Tinoco (D, Arouca), Salva Chamorro (A, Lleida Esportiu-ESP), Markus Berger (D, Gil Vicente), Wagner (A, Nacional), Jhon Murillo (A, Zamora-VEN), Lucas Souza (M, Moreirense), Bruno Nascimento (D, Estoril), Matt Jones (G, Belenenses)
Principais saídas: Rui Nereu (G, Freamunde), Márcio Sousa (M, Farense), Tiago Barros (M, Penafiel), Vítor Alves (D, Aves), Fábio Pacheco (M, Vitória de Setúbal), Joel Silva (A, Aves), Deyvison (D, Marítimo), Tozé Marreco (A, sem clube)

Aconteça o que acontecer, o Campeonato Português 2015/16 já é histórico para o Tondela, que pela primeira vez disputa a divisão de elite do futebol lusitano. Mas o que seu torcedor não quer que aconteça é o efeito ioiô, ou seja, retornar à segunda divisão logo de cara. Por isso, o clube campeão da Segunda Liga na temporada passada renovou praticamente todo o seu elenco. O novo técnico é Vítor Paneira, que também debuta na primeira divisão. Entre os jogadores, destaque para as chegadas do goleiro inglês Matt Jones, ex-Belenenses, e do atacante venezuelano Jhon Murillo, emprestado pelo Benfica para ganhar experiência nos campos portugueses. A missão do sul-americano é substituir ao ídolo Tozé Marreco, artilheiro da equipe na campanha vitoriosa de 2014/15 e que quis deixar o clube. O que não falta em Tondela é animação: quase um quarto da pequena cidade, de 4,5 mil habitantes, é sócia do clube.

UNIÃO DA MADEIRA

Técnico: Norton de Matos
Temporada passada: vice-campeão da segunda divisão
Destaque: Élio Martins (A)
Copas europeias: nenhuma
Fique de olho: Ruben Andrade (M)
Objetivo: escapar do rebaixamento
Principais chegadas: Danilo Dias (A, Qarabag Agdam-AZB), Diego Galo (D, Arouca), Erick Iragua (M, Bolívar-BOL), Paulinho (D, Moreirense), Joãozinho (D, Astra Giurgiu-ROM), André Moreira (G, Moreirense), Edder Farías (A, Caracas)
Principais saídas: Stéphane Dasse (D, Chaves), Diogo Coelho (D, Farense), Pedro Trigueira (G, Acadêmica), Jaime Simões (D, Apollon Limassol-Chipre), Talles (A, Sagamihara-JAP)

Vinte anos depois, o tradicional União da Ilha da Madeira está de volta à primeira divisão portuguesa. E manter-se nela é o principal objetivo do clube, que também chega para o campeonato motivado em atrapalhar a vida de Nacional e Marítimo, reacendendo a rivalidade do trio de clubes da região. Vice-campeão da Segundona na temporada passada, o clube investiu na renovação do elenco para jogar na elite. Mas apostou alto, ao contar com poucos jogadores que possuem experiência no campeonato. O próprio técnico contratado para 2015/16, Norton de Matos (ex-jogador do Benfica), teve poucas chances de comandar equipes na Primeira Liga. A esperança da torcida recai principalmente sobre o atacante Élio Martins, que anotou 14 gols na temporada passada e tornou-se um dos principais nomes da campanha do acesso.

VITÓRIA DE GUIMARÃES

Técnico: Armando Evangelista
Temporada passada: 5º lugar
Destaque: Tozé (M)
Copas europeias: Liga Europa (3ª pré-eliminatória)
Fique de olho: Henrique (A)
Objetivo: competições europeias
Principais chegadas: Tozé (M, Estoril), Henrique (A, Cruzeiro), Bruno Mendes (A, Avaí), Licá (A, Rayo Vallecano), Montoya (M, Vasco da Gama)
Principais saídas: Bernard Mensah (M, Getafe), André André (M, Porto), Kanú (D, Farense), Nii Plange (D, Acadêmica), Sami (A, Akhisar-TUR)

O que você diria de um time que tem Henrique Ceifador (ex-Palmeiras e Cruzeiro) e Montoya (ex-Vasco)? Pois esse é o Vitória de Guimarães, que resolveu apostar em jogadores alternativos do futebol brasileiro para a temporada 2015/16. Claro que eles não são os únicos reforços. O principal nome que chegou foi o meia Tozé, que defendeu o Estoril no último campeonato e tinha seus direitos vinculados ao Porto. A temporada não começou nada boa para o clube, que foi eliminado pelo Altach, da Áustria, na terceira pré-eliminatória da Liga Europa. Uma pressão a mais para o técnico Armando Evangelista, que foi promovido do time B para a equipe principal com a saída de Rui Vitória, contratado pelo Benfica após quatro anos comandando o Vitória de Guimarães. Também saíram nomes importantes, como o artilheiro André André e o meia Bernard Mensah. Resumindo: a vida de Armando Evangelista não será fácil, já que a torcida espera a repetição das boas campanhas dos últimos campeonatos.

VITÓRIA DE SETÚBAL

Técnico: Quim Machado
Temporada passada: 14º lugar
Destaque: Frederico Venâncio (D)
Copas europeias: nenhuma
Fique de olho: André Claro (A)
Objetivo: escapar do rebaixamento
Principais chegadas: Nuno Pinto (D, Astra Giurgiu-ROM), Cristian Rissone (D, Anadia), Ruca (D, Mafra), Costinha (A, Lusitano), William Alves (D, Paysandu), Diego (G, Juventude), Fábio Pacheco (M, Tondela), André Claro (A, Arouca), Ruben Semedo (D, Reus Deportiu-ESP)
Principais saídas: Kiko (D, Acadêmico Viseu), Luis Advíncula (D, Bursaspor), Yann Rolim (M, Frankfurt), João Schmidt (M, São Paulo)

O Vitória de Setúbal vem lutando contra o rebaixamento ano após ano. A sina de ficar sempre entre os últimos colocados tem boas chances de continuar nesta temporada, principalmente levando-se em consideração os problemas financeiros da equipe. Sem dinheiro, restou ao clube buscar reforços em equipes de divisões inferiores do futebol português, o que motivou a montagem de um elenco que gera dúvidas na torcida. Também foi contratado o técnico Quim Machado, campeão da segunda divisão na temporada passada no comando do Tondela. Enquanto o artilheiro João Schmidt retornou ao São Paulo, o destaque entre os jogadores passou ao defensor Frederico Venâncio. Nascido em Setúbal, ele possui forte ligação com o clube e, consequentemente com a torcida – que deve ter mais uma temporada de sofrimentos.